terça-feira, 28 de Abril de 2009

LULAS EM MOLHO INGLÊS

Um prato simples mas muito saboroso, o molho inglês faz a diferença.

O molho inglês, também conhecido como molho Worcestershire ou simplesmente Worcester, é um condimento líquido fermentado, amplamente usado na culinária, sobretudo na culinária inglesa. É preparado com vinagre, melaço, xarope de milho, água, chili, molho de soja, pimentão, tamarindo, anchovas, cebolas, cravinho e alho.
É considerado um intensificador de sabor, utilizado em vários pratos, tanto cozinhados como crus. Na culinária inglesa é empregado na preparação da carne de vaca e noutras cozinhas, em marinadas, especialmente com carne de porco. É um ingrediente essencial no tempero da Salada César e na preparação do Bloody Mary (Wikipédia). Usei o molho da tradicional marca Lea & Perrins, daqui.

Mesmo que as lulas estejam congeladas, rapidamente descongelam no microondas e em 30min. a refeição está pronta.

Acompanhei esta lulas com batata frita, mas cozida ou assada a murro combinam igualmente bem. O molho das lulas acaba por "temperar" o acompanhamento, pelo que grelos cozidos ou outra verdura como os brócolos também acompanham muito bem e não precisam de azeite. Usei folhas de brócolos cozidas.

Fiz assim...

LULAS EM MOLHO INGLÊS


INGREDIENTES
1kg de lulas limpas
2-3 colheres (sopa) pão ralado
fio de azeite
4 dentes de alho
1 folha de louro
1 piri-piri
5 colheres (sopa) de molho inglês
água quente
sal
pimenta

salsa ou coentros picados

PREPARAÇÃO
Lavar as lulas e escorrer bem.
Numa tigela juntar as lulas, polvilhar com o pão ralado e mexer.

Numa frigideira alta cobrir o fundo com azeite e levar ao lume com os dentes de alho picados, o louro e o piri-piri picado. Assim que estiver o azeite bem quente, juntar as lulas e fritar, mexendo para alourar durante 5min..

Juntar o molho inglês, agitar a frigideira, acrescentar água necessária, tapar e deixar cozinhar mais 15min. em lume médio. Rectificar de sal e pimenta.

Servir de imediato, salpicando com a salsa ou coentros picados, acompanhando com batata frita, cozida ou assada a murro.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Não adicionar pão ralado em excesso pois no final o molho ficará muito empapado. Quanto mais pão ralado, mais água vai precisar para diluir o molho e menos concentrado fica o sabor do molho inglês. O pão ralado serve para dar alguma crocância às lulas e engrossar o molho;
- Em vez de água, ou em partes iguais, pode ser usado vinho branco ou tinto;
- Como o molho inglês já possui sal, provar o molho das lulas antes de rectificar com sal.

sábado, 25 de Abril de 2009

BOLO DE CHOCOLATE, AMÊNDOAS E BANANA

Combinações com chocolate há, até dizer: "Ok, estou rendido!".
Fruta e chocolate é do melhor. Laranja e chocolate um must, mas outras são deliciosas também - banana e chocolate, como o Pão de Banana com Chocolate, banana e canela no Pão Integral de Banana e Iogurte e banana e amêndoa no Bolo de Banana com farinha Espelta.

A receita veio do L'amour dans l'assiette e bem dizia a Bia que era muito bom. Eliminei desta vez a cobertura de nozes, cobri com chantily.

Ficou um bolo grande que fiz numa forma de bolo inglês, podendo ser feito em forma redonda, como no original. Durou ainda alguns dias, mas nem por isso ficou seco.
A massa é consistente, compacta mas macia, os ingredientes que levam permitem que retenha humidade.

Fiz assim...

BOLO DE CHOCOLATE, AMÊNDOAS E BANANA


INGREDIENTES
190g / 3/4 de chávena de manteiga
170g de chocolate meio amargo picado
250g / 1 e 1/2 chávenas de farinha de trigo peneirada
200g / 1 chávena de açúcar
60g / 1/2 chávena de amêndoas moídas
2 colheres (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/4 colher (chá) de sal fino
165ml / 2/3 de chávena de leitenho (buttermilk) ou iogurte
1 colher (sopa) de extracto de baunilha
2 chávenas de bananas bem maduras amassadas (4 bananas grandes)
3 ovos

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Derreter a manteiga numa caçarola, juntar o chocolate e mexer até dissolver. Deixar arrefecer 10min..

Numa tigela misturar a farinha, o açúcar, as amêndoas, o fermento, o bicarbonato e o sal. Juntar o leitenho, a baunilha e as bananas e mexer até combinar.

Juntar os ovos à mistura de chocolate e mexer muito bem. Combinar agora este creme à mistura das bananas.

Colocar a massa numa forma untada e levar ao forno até o palito sair seco, cerca de 40-50min. dependendo da forma.

Deixar arrefecer na forma uns 15min. e desenformar.

Cobrir no fim de frio com chantily ou outra cobertura da preferência.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se usar leitelho preparado com leite e vinagre ou limão, deixe-o repousar 10min..

quarta-feira, 22 de Abril de 2009

SANGRIA DE CHAMPANHE E MORANGOS

Simples, rápida, saborosa e muito fresca.

Já há muito que estava para fazer esta combinação.
Bebi num jantar de amigos aqui na cidade e fiquei de a repetir em casa e o tempo foi passando, até que dei por esta sugestão no Mesa para 4. Dito e feito! Só depois consultei a fonte original e vi que no Desastres culinários esta sugestão também foi em resultado de uma experiência de restaurante... aqui na cidade. Quem sabe se não foi no mesmo, lol
A que bebi foi realmente com cubos de maçã, pêra e limão - Sangria de Champanhe, mas para aproveitar os morangos que tinha, foram eles os Reis da festa, como quem diz, sangria. E quem não gosta de morangos e champanhe?

Para uma mistura mais ousada, esmagar alguns morangos com um garfo, colocar em copos de cocktail, de pé, encher com esta sangria e enfeitar com folhas de hortelã que simulam as do morangueiro.

Fiz assim...

SANGRIA DE CHAMPANHE E MORANGOS


INGREDIENTES
750ml de champanhe ou espumante doce fresco
500ml de 7up fresca ou equivalente
15 morangos
cubos de gelo (opcional)

PREPARAÇÃO
Lavar os morangos, cortá-los em rodelas ou cubos e colocar numa jarra.
Misturar os líquidos, mexer e adicionar gelo.
Servir bem fresco

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Manter as doses para uma jarra de 1,5l no mínimo, ou fazer metade das doses de cada vez;
- Se gostar de sangria menos doce, usar espumante meio-seco ou mesmo bruto, mas doce é outra coisa.

segunda-feira, 20 de Abril de 2009

KOUGLOF, KOUGELHOF, KOUGELHOPH, KOUGLOFF, KOUGELHOFF, KUGLOF, KUGELHOF, KUGELHOPH, GOUGLOF, GOUGELHOF, GOUGELHOPH, KUGLEHUPE, GUGELHUPF, NAPFKUCHEN

Esta especialidade escreve-se de várias formas, tendo em comum a sonoridade. É um bolo de massa finta que partilha os ingredientes com outros do seu género natalício: O Panettone, o Pandoro e mesmo o Bolo Rei. A textura é de um pão fibroso de poros médios e de miolo amarelo, sabor ligeiramente doce, semelhante a um brioche, com passas de uva e laranja cristalizada e aroma frutado e a licor.

É típico da Alsácia, região francesa que faz fronteira com a Alemanha e Suíça, cuja capital é Estrasburgo. Por estar tão próximo da Alemanha, Suíça (e por conseguinte Áustria) mas também da Bélgica, nestes países é um bolo comum, existindo variações locais nos ingredientes, como a inclusão de frutos secos e de outras frutas cristalizadas, licores, especiarias... É também conhecido noutros países da Europa central: Hungria, República Checa, Sérvia, Bósnia-Herzegovina, República Macedónia e Polónia. Assim, se justifica as inúmeras designações para este bolo.
Foi popularizado em França pela rainha Maria Antonieta, pois como sabemos perdeu a cabeça por brioches, lol.

O aspecto do bolo é muito semelhante em todos estes locais, usa-se uma forma alta de chaminé, de vários diâmetros, sempre com gomos, sendo as típicas da Alsácia feitas de cerâmica/faiança. Podem também ser usadas as formas metálicas. No fim de assados estes bolos, são no fim de frios, polvilhados com açúcar em pó, à semelhança dos seus congéneres natalinos: o Panettone é alto e redondo, o Pandoro é alto e em forma de estrela de 8 pontas e o Bolo Rei é baixo e com buraco ao meio, tal como o Kouglof.

O nome deste bolo pode ter várias explicações, uma delas advém do nome do padeiro - Kugel, que fez este bolo em homenagem aos reis magos, fazendo-o com a forma dos seus chapéus (o termo é traduzido como chapéu dos turcos, turbante); outra explicação poderá estar relacionada com o aspecto do penteado típico dos final do séc. XVI Gugelhuete.

Para formas de 22/24 cm de diâmetro, usar a receita com 500g de farinha, para formas com 26cm, como a que usei, ou mais usar a receita com 750g de farinha.

É um bolo seco, de família, por isso óptimo para um pequeno-almoço para se comer simples ou com geleia ou queijo fresco, com o café, ou qualquer outra situação.

As receitas deste bolo variam sobretudo na quantidade de manteiga e de açúcar. Usei como base a receita do Livro de Receitas de Bolos e Bolinhos da Vaqueiro.

Fiz assim...

KOUGLOF, KOUGELHOF, KOUGELHOPH, KOUGLOFF, KOUGELHOFF, KUGLOF, KUGELHOF, KUGELHOPH, GOUGLOF, GOUGELHOF, GOUGELHOPH, KUGLEHUPE, GUGELHUPF, NAPFKUCHEN, BABKA


INGREDIENTES
Para formas de 22/24cm:
500g de farinha T65
pitada de sal fino
1,5 colheres (chá) de fermento biológico seco / 30g de fermento biológico fresco (padeiro)
1dl + 1,5dl de leite morno
125g de manteiga ou margarina
2 ovos
1 colher (sopa) de kirsch (opcional)
1 colher (chá) de essência de baunilha / sementes de 1/2 vagem de baunilha
100g de açúcar
100g de corintos ou sultanas
150g de laranja cristalizada cortada em pequenos cubos

amêndoas peladas ou meias nozes para enfeitar

Para formas de 26cm:
750g de farinha T65
1 colher (café) de sal fino
2 colheres (chá) de fermento biológico seco / 40g de fermento biológico fresco (padeiro)
1dl + 2.5dl de leite morno
190g de manteiga ou margarina
3 ovos
1,5 colher (sopa) de kirsch (opcional)
1,5 colher (chá) de essência de baunilha / sementes de 1/2 vagem de baunilha
150g de açúcar
150g de corintos ou sultanas
200g de laranja cristalizada cortada em pequenos cubos

amêndoas peladas ou meias nozes para enfeitar


PREPARAÇÃO
À mão:
Numa tigela grande peneirar a farinha, juntar o sal e abrir uma cova no meio. Juntar o fermento diluído em 1dl de leite morno e 2 colheres (sopa) retiradas das 100g de açúcar. Mexer ligeiramente e deixar levedar 10-15min..
Juntar a manteiga amolecida, o 1.5dl de leite, os ovos, os aromas e o resto do açúcar.
Trabalhar os ingredientes de forma a obter uma massa macia, homogénea e elástica.
Tapar e deixar levedar 1.5h, até duplicar.

Juntar as passas e a laranja cristalizada e misturar com a massa para distribuir.
Na forma muito bem untada e polvilhada com farinha colocar uma amêndoa em cada gomo da forma, deitar a massa e deixar levedar (dentro do microondas, por exemplo), até quase duplicar, cerca de 1h.

Levar a forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 40min., a 180ºC, ou até estar cozido.
Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha.
No fim de frio polvilhar com açúcar em pó.


Na MFP:
Na cuba da MFP juntar o fermento, 1dl de leite morno e 2 colheres (sopa) retiradas das 100g de açúcar. Seleccionar um programa qualquer que misture, durante 5min.. Desligar e deixar levedar 10-15min..
Juntar a farinha, o sal, a manteiga amolecida, o 1.5dl de leite, os ovos, os aromas e o resto do açúcar.
Seleccionar o programa "Massa" e deixar prosseguir até ao fim de levedar.

Juntar as passas e a laranja cristalizada e seleccionar o programa "Massa" deixando amassar cerca de 10-15min..
Na forma muito bem untada e polvilhada com farinha colocar uma amêndoa em cada gomo da forma, deitar a massa e deixar levedar (dentro do microondas, por exemplo), até quase duplicar, cerca de 1h.

Levar a forno pré-aquecido a 200ºC cerca de 40min., a 180ºC, ou até estar cozido.
Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha.
No fim de frio polvilhar com açúcar em pó.

 Versão Natal 2010 - Sem nozes pecãs/amêndoas no topo e apenas com sultanas douradas na massa

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Pode ser adicionada à massa, junto com as passas, algumas amêndoas picadas, mas não moídas. Se o aroma agradar, pode-se substituir a baunilha por essência de amêndoas;
- Usei nozes pecãs para enfeitar, pois não tinha amêndoas.

sexta-feira, 17 de Abril de 2009

SALAME DE CHOCOLATE

O Salame de Chocolate acho que foi a minha primeira aventura na cozinha, já lá vão uns anos.
As crianças gostam de chocolate, as crianças gostam de bolachas, as crianças gostam de inventar, as crianças gostam de fazer Salame de Chocolate.

A minha 1.ª receita de salame de chocolate foi a do meu 1.º livro de culinária. Este livro, com pouco mais de 5cm de altura, é a "Agenda do Cangurik" do Nesquik, e na altura com 3 receitas apenas era guardada por mim como se do Pantagruel se tratasse. O Cangurik fazia as delícias dos mais pequenotes, depois deu origem ao coelho Quicky. Mudam-se os tempos, mudam-se as mascotes!

Com o passar do tempo fui alterando a receita do Salame de Chocolate do Nesquik, tornando-a mais simples de fazer e memorizar.

A receita pode ser incrementada com amêndoas, nozes, avelãs, passas, ou com aromas como a baunilha e o coco. Para além deste, faço ainda o do Jamie Oliver, Mini-salame de chocolate com pistácios e cerejas.

Fiz assim...

SALAME DE CHOCOLATE




INGREDIENTES
400g de bolacha maria
200g de margarina
200g de açúcar
200g de achocolatado em pó
2 ovos

PREPARAÇÃO
Partir as bolachas em pedaços bem miúdos, incluindo alguns bem moídos. Reservar.

Numa caçarola levar ao lume a margarina e o açúcar. Assim que levantar fervura desligar e mexer para dissolver o açúcar. Juntar o chocolate e mexer bem. Juntar os ovos batidos e mexer rapidamente, para não cozerem.

Numa tigela grande colocar as bolachas e verter o creme de chocolate. Envolver muito bem.

Sobre papel alumínio moldar o salame e levar ao frigorífico ate servir.



Outras fornadas...

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para partir as bolachas pode-se usar uma garrafa para lhes bater numa tigela, ou dentro de um saco plástico dentro de um pano de cozinha ou saca do pão bater com o rolo da massa, ou num almofariz grande esmagar com o pilão;
- Para se ter menos trabalho a moldar o salame, forrar uma forma de bolo inglês, com o papel de alumínio, verter a massa dentro e calcar bem para eliminar espaços vazios. Fechar com o papel e comprimir. Levar ao frigorífico, podendo depois de frio retirar-se da forma. Usei uma forma comprida canelada em vez da de bolo inglês.

quarta-feira, 15 de Abril de 2009

TAGLIATELLE DE BRÓCOLOS E ROQUEFORT

O queijo Roquefort todos o conhecemos como o queijo de bolor verde.
Ou se gosta ou se detesta.

Para além de o usar em tábuas de queijo, pois o seu sabor e cor contrasta com os demais queijos, gosto dele em pizzas e massas.

Esta sugestão não inclui carne nem peixe, apenas brócolos e queijos. Quer os brócolos quer os queijos conferem cremosidade ao molho.
As massas combinam muito bem com queijo, aqui para além do roquefort usei o tipo philadelphia para o molho e o parmesão para cobrir.

Se os brócolos tiverem folhas, cozê-las também e servi-las como cama para o tagliatelle.

Para quem gosta de massas com molhos de vegetais, ver também estas sugestões.

Fiz assim...

TAGLIATELLE DE BRÓCOLOS E ROQUEFORT


INGREDIENTES
250g de tagliatelle
4 ramos grande de brócolos
150-200g de queijo tipo philadelphia
1 cubo com 2cm de queijo roquefort (usar a gosto)
sal fino q.b.
pitada de pimenta
queijo parmesão ralado

PREPARAÇÃO
Cozer os brócolos até os caules estarem macios e escorrer. Cortar os brócolos em pedaços miúdos, reservando alguns pedaços maiores para enfeitar. Reservar.

Numa tigela desfazer o queijo roquefort com um garfo e juntar o queijo philadelphia formando uma pasta. Temperar o creme com o sal e pimenta e juntar parte dos brócolos partidos. Mexer.

Cozer a massa al dente, escorrer, mas reservar um dedo de água da cozedura no fundo.
No tacho de cozer a massa juntar o creme dos queijos e o resto dos brócolos cortados finamente.
Envolver bem e colocar na taça de servir.
Polvilhar com queijo parmesão e enfeitar com os brócolos reservados.

Servir de imediato.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- A massa coze-se sempre no fim do molho estar pronto. A massa não espera pelo molho, mas sim o contrário;
- Cozer a massa como habitualmente, em água abundante, dizem as regras que para cada 100g usa-se1l de água, temperada com sal e um fio de gordura (opcional);
- Usar o roquefort a gosto, a ideia é não ficar demasiado carregado;
- A água quente da cozedura da massa ajuda a abrir o molho.

segunda-feira, 13 de Abril de 2009

PÃO DE MANJERICÃO, AZEITE E ALHO

Serviu este pão para acompanhar queijos.
Escolhi brie, roquefort, manchego, rolo de alho e ervas, curado de ovelha e curado de cabra para uma tábua de queijos.

Este pão, bem como uma bolachas Carr's e umas mini-tostas acompanhou de forma digna o repasto lácteo.
Usei a receita de Pão ultra-rápido, com um pouco de farinha de centeio e amassei-o um pouco mais.
Escolhi esta receita porque o miolo fica mais compacto, podendo cada fatia ser fatiada, mesmo ainda morna, em 4 pequenos quadrados, acompanhando quer os queijos cremosos, quer os curados.
Muito aromático pelo próprio manjericão e azeite, mas também pelo alho que esmagado fica mais activo. Servi-o morno.

Fiz assim...

PÃO DE MANJERICÃO, AZEITE E ALHO


INGREDIENTES
340ml de água morna
1 e 1/2 colher (chá) de de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de gordura
3 dentes de alho esmagados
3 colheres (sopa) de manjericão picado
pitada de pimenta moída
600g de farinha
2 colheres (chá) de sal fino

PREPARAÇÃO
Esmagar os dentes de alho no almofariz. Picar o manjericão.

Na cuba da MFP colocar os ingredientes pela ordem mencionada. Seleccionar o programa "Massa". No fim dos 20min. de amassar, desligar e seleccionar o programa "Cozer".

Deixar terminar o programa, retirar e arrefecer sobre uma grelha antes de fatiar.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- O manjericão pode ser substituído por equivalente em coentros, salsa ou mistura destes com óregãos.

sábado, 11 de Abril de 2009

FOLAR DE PÁSCOA

Nestas fotos quadripliquei a receita de Folar de Páscoa.
Dividi a massa em 7 bolos de 600g e cobri com um ovo cozido com cascas de cebola.

quinta-feira, 9 de Abril de 2009

VITAMINAS ON THE ROCKS - SUMO NATURAL DE CENOURA, MAÇÃ E LARANJA

Sumos naturais é sempre outra coisa.
Aqui em casa bebe-se muito sumo de laranja natural, mas o sumo de cenoura para mim é um dos favoritos.
Em criança lembro-me de chegar a altura das colheitas e o sumo de maçã reinava durante umas boas semanas. Noutras alturas era o de cenoura.

Nesta sugestão natural, as vitaminas estão lá todas. Vitaminas bem frescas.
Todos os sumos naturais devem ser bebidos de imediato à extracção.

A laranja ajuda a não oxidação rápida do sumo, pode ser usado o limão também. O sumo de cenoura é bastante fluido, e a maçã dá sabor e incorpora polpa no sumo.

A centrifugadora é bastante útil para extrair os sumos de frutos e vegetais que não são facilmente espremidos: cenoura, maçã, pêra, ananás, melancia, tomate - são os mais usados. A combinação de sabores, cores e aromas é infinita.
Só não usamos mais vezes a centrifugadora porque no dia-a-dia não há tanto tempo como isso para a lavar após o sumo, é pena. Quando temos muita fruta, ou é para servir a todos, então aí sai do armário.

Fiz assim...

VITAMINAS ON THE ROCKS - SUMO NATURAL DE CENOURA, MAÇÃ E LARANJA


INGREDIENTES

5 cenouras
2 maçãs
1 laranja

PREPARAÇÃO
Lavar muito bem as cenouras, com uma escovinha, ou em alternativa pelá-la com o descascador de cenouras.
Cortar longitudinalmente as cenouras.
Lavar as maçãs e cortá-las em quartos, com as sementes também.
Descascar a laranja e cortá-la em quartos.

Triturar tudo na centrifugadora.
Colocar em jarra ou copos grandes, com gelo e folhas de hortelã.

Servir de imediato.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se as cenouras forem caseiras/biológicas, lavá-las bem e centrifugar com a casca também.

terça-feira, 7 de Abril de 2009

FOLAR DE PÁSCOA

Páscoa pede folar.
Tradicionalmente os padrinhos, na Páscoa, oferecem um folar (presente) aos seus afilhados.
Antigamente o folar que se dava era um pão doce (ou não) de massa lêveda, daí este bolo ter-lhe adquirido o nome. Hoje recorre-se a outro tipo de prendas para folar, mas o bolo folar continuará a ser chamado de folar.

Nas aldeias o folar é um produto de padaria, bastante rústico. Nas cidades é um produto de pastelaria, com alguns melhoradores de sabor, cor, textura e de apresentação, como a gelatina e afins para o brilho, com algumas excepções.

Dependendo da região do país, os folares ou são doces ou salgados.
Este é o típico da minha região, é doce e coberto com ovos cozidos. O bolo simboliza o ninho, e os ovos a geração de uma nova vida, fertilidade (tal como os coelhos - malandros, lol).
Deseja-se felicidade e prosperidade a alguém, quando se lhe oferece um folar.
Noutras regiões, no norte, o folar de Chaves é uma massa de pão, lêveda, recheada com carnes, fumadas ou não, maravilhoso, no sul, o folar de Olhão é uma massa enrolada com açúcar e canela, supermaravilhoso.
Mesmo os doces e os salgados, variam de forma e sobretudo de receita.
No doce por exemplo, há o folar com ovos na massa e sem, com ovo em cima ou não, redondo ou oval, com canela, erva-doce, raspa de limão e laranja ou sem algum destes aromas...

Os ovos que o cobrem são cozidos com casca de cebola para ficarem acastanhados.
E quem não gosta de uma boa fatia de folar, até cortada à mão, a acompanhar um dos ovos cozidos? Estes ovos cozidos, ficam sempre muito mais aromáticos e a massa do bolo que os envolve, fica muito mais macia e húmida, perfeita para mim.
O folar é óptimo no dia em que é feito, no dia seguinte, ou durante a semana. Torrado com manteiga, hummmmmmm. Mais fotos aqui.

Baseei esta receita na das Farinhas Lusitana - revista do clube n. 26.

Fiz assim...

FOLAR DE PÁSCOA



INGREDIENTES
Para a massa:
250ml de leite morno
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
1 ovo
110g de açúcar
570g de farinha T65
1 colher (café) de erva-doce em pó
1 colher (café) de canela em pó
100g de manteiga ou margarina amolecida

Para decorar:
ovos cozidos em casca de cebola
1 ovo (pincelar)

PREPARAÇÃO
Cozer os ovos em água com cascas castanhas e secas de cebola e sal. Escorrer e reservar.

Na MFP:
Na cuba da MFP, juntar os ingredientes pela ordem mencionada.
Seleccionar o programa "Massa" e deixar prosseguir até ao fim, o que inclui levedar. A massa no início parece pegajosa, mas com o amassar e levedar irá ficar macia, elástica e desprende-se.

À mão ou na batedeira:
Na tigela colocar a margarina amolecida, o açúcar, o ovo e bater. Acrescentar a canela e a erva-doce, o fermento e o leite morno. Bater com a colher de pau ou na batedeira com a pinha. Juntar a farinha com a colher de pau ou na batedeira com os ganchos da massa. Deixar levedar, tapado com um pano e cobertor, sensivelmente 1h30 ou até duplicar de volume.

Em ambos os processos:
Retirar a massa, que estará macia, e separar desta um pedaço equivalente a uma tangerina, para a decoração.
Dividir a massa, para dois folares, ou tomá-la toda, para um só folar, e na pedra enfarinhada moldar uma bola com a massa do folar, enrolando os lados para baixo e para dentro, tornando a superfície lisa.
Enfarinhar um tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete de silicone e moldar o folar. Com a mão fazer no centro as covas para os ovos. Colocar os ovos fazendo pressão para que se enterrem.

Dividir a massa, que foi separada para decoração, em número igual ao dos ovos usados e fazer rolinhos em cada porção. Dividir cada rolo a meio e fazer uma cruz em cima de cada ovo. Com o dedo empurrar as extremidades dos rolos, como se estivéssemos a fazer um furo na massa.

Pincelar com o ovo batido e deixar descansar 15min. enquanto o forno aquece.
Levar ao forno pré-aquecido, a 180ºC durante 30-35min.

Retirar e deixar arrefecer numa rede.

Rende 1 folar com 1,2kg.



NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para obter uma receita mais tradicional, substituir metade do leite por água morna e não juntar o ovo na massa;
- A margarina que usei, marca "Chefe" tem uma cor amarela, o que pode ter contribuído para a cor da massa;
- A quantidade de canela e de erva-doce pode ser aumentada a gosto;
- O tapete de silicone permite que o lar não fique seco ou queimado.

domingo, 5 de Abril de 2009

CHEESECAKE DE FRUTOS VERMELHOS

Estamos na Primavera mas já cheira a verão e as sobremesas frescas apetecem.

Este é o meu cheesecake tradicional. Faço um outro de forno, mas este é o preferido.
Outras versões de cheesecake também já as fiz: Cheesecake de Maracujá e Chocolate, Cheesecake Light de Manga e Cheesecake de Frutos Vermelhos com Leite condensado.

As variações podem ser feitas quer na base de bolacha, usando para além da bolacha maria, outra bolacha doce amanteigada, ou de chocolate, ou de água e sal. O creme pode ser feito com queijo fresco batido ou creme, iogurte, natas, levando açúcar ou leite condensado, e a cobertura com doce consistente ou uma mistura gelatinada.

O contraste deste Cheesecake de Frutos Vermelhos é bom, o creme pouco doce e a cobertura doce e ácida.
O queijo que uso no cheesecake é o fresco batido (uso Phoenicia), parece em aspecto e sabor a iogurte natural. As natas terão de ser de boa qualidade (uso Vallese), que fiquem firmes quando batidas e não deslacem com o tempo, comprometendo a textura do creme e humedecendo a base de bolacha.

Fiz assim...

CHEESECAKE DE FRUTOS VERMELHOS

INGREDIENTES
Para a base:
200g de bolacha maria
80g de manteiga
2 colheres (sopa) de água

Para o creme:
500ml de queijo fresco batido tipo Phoenicia
200ml de natas batidas
50g de açúcar
4 folhas de gelatina incolor

Para a cobertura:
500g de frutos vermelhos (congelados)
200g de açúcar
1 folha de gelatina vermelha

PREPARAÇÃO
Picar as bolachas, batendo-as dentro de um saco, no processador eléctrico ou no almofariz.
Derreter a manteiga e juntar, numa tigela, às bolachas. Amassar bem e juntar aos poucos a água, se necessário.
Forrar com a bolacha o fundo de uma forma de mola já forrado com papel vegetal ou película aderente.

Demolhar as gelatinas em água fria.
Bater as natas em chantilly juntando-lhe o açúcar, primeiro em velocidade baixa e depois em alta.
Reduzir a velocidade da batedeira para o mínimo e juntar o queijo previamente mexido.
Dissolver as gelatinas numa pequena taça com 1-2 colheres (sopa) de água a ferver. Mexer bem, e juntar à mistura do queijo. Envolver bem a gelatina, na velocidade média, por pouco tempo.
Verter sobre a base de bolacha.
Levar ao frigorífico.

Num tacho levar a ferver os frutos vermelhos e o açúcar, até ganhar ponto de estrada. Desligar.
Hidratar a gelatina em água fria.
Dissolver a gelatina no doce ainda bem quente.
Deixar arrefecer quase completamente e cobrir o cheesecake.

Manter refrigerado até servir.
Abrir o aro sobre o prato de servir, retirar a base da forma e o papel vegetal de preferência.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para forrar o fundo da forma de mola com papel vegetal, simplesmente fechar o aro trancando o papel vegetal no fundo, depois é só recortar por fora o excesso de papel. Se for usada película aderente esta deslizará mais facilmente ao retirar;
- Não juntar mais água que a indicada, pois se não a base de bolacha fica molhada;
- Fazer o cheesecake de um dia para outro, mantendo no frigorífico, mas cobrir com o doce de frutos vermelhos só algumas horas antes de servir;
- Pode-se fazer um doce mais ralo, mais translúcido, usando alguma água, no entanto deve usar-se uma folha de gelatina previamente demolhada.

quarta-feira, 1 de Abril de 2009

CAMARÃO AO ALHINHO / CAMARÃO ALL'AGLIO

Várias são as designações para este camarão: Camarão em azeite e alho, camarão com alho e piri-piri, camarão all'aglio, camarão frito picante... são tantas como as maneiras de o fazer.

Já há muito que adoptei esta preparação, satisfaz-se.

Uso a pimenta de caiena também para cozer camarão, dá-lhe uma cor vermelha bonita e o picante necessário. Nesta sugestão, embora esta pimenta seja bem característica e aconselhável, pode ser substituída por uma malagueta e um pouco de colorau, sendo o sabor ligeiramente diferente.
Para fritar opto por camarão maior do que para cozer.

Enquanto se descascam os camarões, os dedos são ficando com o molho, que se leva à boca, hummmm...

Fiz assim...

CAMARÃO AO ALHINHO / CAMARÃO ALL'AGLIO


INGREDIENTES

1kg de camarão (usei 20/30)
azeite q.b.
1 colher (chá) de pimenta de caiena
1 colher (chá) de sal
8 dentes de alho
1 colher (sopa) de molho inglês
1 colher (chá) de sumo de limão (opcional)

PREPARAÇÃO
Numa frigideira larga levar ao lume o azeite, em quantidade que cubra o fundo de forma abundante, junto com a pimenta de caiena.
Assim que estiver quente juntar o camarão cru e deixar fritar de um lado, temperar de sal. Tapar.
Virar os camarões e juntar os alhos picados e o molho inglês. Agitar a frigideira para misturar os temperos e voltar a tapar.
Adicionar o sumo de limão, desligar e agitar novamente a frigideira.

Servir de imediato bem quente.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Deixar descongelar o camarão, durante 30min. antes de o preparar;
- Cortar as barbas do camarão para não atrapalharem na frigideira.