segunda-feira, 25 de novembro de 2013

TARTE DE ABÓBORA

É tempo de abóboras e por aqui têm-se diversificado as suas utilizações. Eu gosto muito de abóbora, não só pela cor, pelo sabor e aroma que deixa ao cozer.

Geralmente as tartes de abóbora apresentam um recheio muito denso, mas nesta sugestão o recheio é leve e o aroma muito outonal e quente, pelas especiarias que leva.
A receita vem do Dia de Domingas. Apenas usei massa quebrada fresca enrolada para facilitar a preparação e adaptei as quantidade de natas e abóbora às embalagens que dispunha.
Não é muito doce e as natas ácidas contribuem com a textura, com um sabor lácteo bastante agradável e para manter húmido o recheio.

Para preparar esta tarte usei puré de abóbora que congelo em sacos com doses individuais. Aproveito as abóboras que me dão, para as preparar de uma só vez, retirar casca, pevides e fios, cortar em cubos e cozer na panela de pressão. Em puré a abóbora não ocupa tanto espaço no congelador, como se fosse em cubos ou fatias. Este puré tanto serve para tartes, broínhas ou merendeiras, como para cremes ou sopas.

Fiz assim...

TARTE DE ABÓBORA


INGREDIENTES
400ml de natas ácidas (sourcream)
400g de puré de abóbora
3 ovos
160g de açúcar amarelo
1/4 colher (chá) de canela moída
1/4 colher (chá) de gengibre moído
1/4 colher (chá) de noz-moscada moída
1/4 colher (chá) de sal

PREPARAÇÃO
Esticar a massa numa forma de fundo amovível forrada com o papel vegetal da massa.
Picar o fundo da massa com um garfo.

Colocar no copo da bimby as natas ácidas e programar 40ºC/vel. 2/2min.
Acrescentar o puré de abóbora, as gemas, o açúcar e as especiarias e o sal e programar 90ºC/vel. 3/6min.. Durante este tempo elevar a velocidade até 5 durante uns segundos para envolver melhor.
Colocar o copo numa bacia com água fria, durante 15min., para baixar a temperatura do creme.

Bater as claras em castelo e envolver no recheio.

Colocar o recheio sobre a massa e levar a assar 40min. em forno pré-aquecido a 180ºC até estufar e ganhar cor.

Retirar do forno e deixar arrefecer na forma.
No fim de fria levar ao frigorífico algumas horas ou de um dia para o outro.

Pode polvilhar com açúcar em pó antes de servir.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Não gostando de noz-moscada use apenas uma pitada ou substitua a totalidade por outro aroma intenso e quente como o cravinho moído. Em vez de gengibre pode usar cardamomo;
- Para fazer sem bimby, use uma taça em banho-maria para aquecer as natas ácidas e só depois deve juntar os restantes ingredientes. Os tempos/temperatura são os mesmos;
- Ao arrefecer o recheio abate um pouco;
- Esta tarte não perde as qualidades de cor, aroma e sabor durante 1 semana se guardada no fresco e tapada.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

ROLO DE CARNE RECHEADO (SLOW COOKER)

Para agradar a miúdos e graúdos os rolos de carne são, quase sempre, uma boa sugestão.
O recheio pode variar desde: cenoura cozida, chouriço, farinheira, ovos inteiros cozidos, ameixa seca... ao clássico de queijo e fiambre. Pode não ser nada original mas há momentos que ganhamos se não invertamos ;)

A receita é do The Perfect Recipe de Pam Anderson, Bacon-wrapped meat loaf with brown sugar-ketchup glaze.
Relativamente à sugestão original desta vez não envolvi o rolo em bacon nem usei a cobertura por ficar demasiado adocicado para o momento a que se destinava.

É uma boa ideia usar carnes misturadas, em geral porco e vaca. E mesmo sendo de vaca pode ser usada uma parte de carne mais magra e outra mais gorda, mais barata, mas repleta de sabor.
Misturando partes diferentes de carnes obtém-se mais sabor e maior humidade.

Costumo comprar as carnes e picá-las em casa, mas desta vez quando passava pelo talho estavam a picar carne, por isso aproveitei o preço já que estava bem fresca e os pedaços eram aceitáveis.

Por uma questão de conveniência, em vez do forno assei o rolo na panela de cozedura lenta, Crock-Pot.

Fiz assim...

ROLO DE CARNE RECHEADO (SLOW COOKER)


INGREDIENTES
Para o rolo de carne:
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola média picada
2 dentes de alho picados finamente
2 ovos
1 colher (chá) de tomilho seco
1 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de pimenta preta moída
2 colheres (chá) de mostarda Dijon
2 colheres (chá) de molho inglês Worcestershire
gotas de molho picante (Tabasco por exemplo)
125ml de leite, leitelho ou iogurte natural
salsa picada
1kg de carne picada (porco e vaca)
16 bolachas cream cracker em migalhas ou bolachas salgadas ou flocos de aveia

Para o recheio:
fiambre em fatias não muito finas
queijo em fatias

Para o molho:
1 folha de louro
125ml de vinho branco
1 colher (chá) de colorau
4 colheres (sopa) de polpa de tomate
1 colher (chá) de tomilho seco

PREPARAÇÃO
Aquecer uma frigideira e saltear a cebola e o alho. Reservar até arrefecer.

Numa taça grande colocar a cebola e os alho refogados, os ovos, o tomilho, o sal, a pimenta, a mostarda e o molho inglês, o picante, o leite e a salsa. Bater com o garfo.
Juntar a carne as bolachas e apertar com as mãos deixando sair os ingredientes entre os dedos.

Colocar a mistura da carne num saco plástico transparente, da largura da assadeira ou forma. Espalmar bem a carne, usando um rolo de madeira.
Cortar o saco e cobrir a carne com o queijo e fiambre.
Enrolar a carne deixando a selagem para baixo.

Transferir para a taça de cerâmica da Crock-Pot ou assadeira.
Colocar o vinho e a folha de louro no fundo da assadeira, polvilhar com o colorau e dispor a polpa de tomate e o tomilho por cima do rolo.
Levar a assar.

Na Crock-Pot deixar cozinhar durante 6h em temperatura baixa e no forno, pré-aquecido a 200ºC, 1h ou até atingir a temperatura interna de 70ºC, se controlado com um termómetro de carnes.

No fim de assado, retirar o rolo para uma travessa e deixar descansar 15min. antes de fatiar.

Para o molho, retirar a folha de louro e triturar tudo com a varinha mágica.
Servir com a carne.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Embora no livro sugira assar o rolo numa forma, tipo bolo inglês, nunca o fiz, sempre o enrolei e assei numa assadeira;
- Se não tiver bolachas para esmigalhar pode usar pão fresco picado;
- O saco plástico usado é dos das frutas do supermercado (há que reutilizar, são ótimos para congelar febras espalmadas).

domingo, 3 de novembro de 2013

PURÉ DE MAÇÃ COM AVELÃS

Saboroso e saudável é o que se pode dizer desta sobremesa.
Quem já fez comida para bebé, durante um período já fez puré de frutas (quase) todos os dias. E quem não comeu as sobras?

Pois, esta sugestão é muito prática, rápida, saborosa e saudável.
Uma sobremesa sem açúcar adicionado, apenas o que já está presente na fruta. É aquilo que se chama 100% fruta. Quando bem triturado o puré adquire cremosidade.

Este puré também é muito versátil, pode ser utilizado em várias sobremesas ou mesmo para acompanhar carnes assadas, como o porco.

Desta vez usei apenas canela e avelãs, mas pode ser usado qualquer outro fruto seco, as nozes também combinam muito bem.
Há alguns anos, quando falava desta sobremesa simples, a FC sugeriu-me dispor, num copo de vidro ou taça individual, uma camada de pudim instantâneo de baunilha e por cima uma camada deste puré. É simples e perfeito. Bolachas trituradas colocada por cima dá uma textura crocante.

Servir frio ou morno.

Fiz assim...

PURÉ DE MAÇÃ COM AVELÃS


INGREDIENTES
1kg de maçãs (golden e/ou royal gala, jonagold)
avelãs

PREPARAÇÃO
Num pirex com tampa ou numa panela de plástico para microondas colocar a maçã descascada em em gomos médio-finos.
Levar ao microondas 10min na potência máxima (1100W).

Retirar e triturar.

Verter para uma taça e deixar arrefecer.
Levar ao frigorífico para ganhar consistência.

Entretanto torrar as avelãs no forno ou fazendo-as rolar numa frigideira bem quente, alguns minutos. Retirar e deixar arrefecer.

Dispor em taças e cobrir com as avelãs.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Querendo um puré menos doce pode juntar 1-2 maçãs granny smith;
- Se torrar as avelãs no forno depois role-as entre um pano de cozinha para soltar a pele;
- Ao usar bolachas trituradas colocar apenas por cima do puré antes de servir para que se mantenham crocantes. Pelo mesmo motivo também se deve evitar colocar as bolachas em camadas a não se que seja montado na hora;
- Podem ser usadas balachas maria, digestiva, de aveia ou de amêndoa, trituradas ou flocos integrais partidos ou fazer um crumble com flocos de aveia ou apenas farinha e manteiga e tostado num frigideira bem quente;
- Ao servir frio, após umas horas no frigorífico o puré adquire uma consistência mais cremosa;
- Para usar a acompanhar carnes não triturar completamente, para que fiquem bocados de maçã a notar-se.