terça-feira, 19 de janeiro de 2016

BOLO DE ANANÁS, NOZ E CENOURA

Um bolo delicioso e muito aromático.
A cenoura e o ananás contribuem para que a massa do bolo se mantenha húmida. As nozes dão-lhe uma textura grosseira e a canela une todos os ingredientes com o seu aroma.

Um bolo para se trincar, consistente, algo denso e pesado, mas ao mesmo tempo delicado.
Um bolo de outono/inverno mesmo ao meu gosto ou não tivesse sido feito para o meu aniversário :)

A cobertura dá-lhe um ar festivo e não sendo muito doce, assenta-lhe lindamente com a sua cremosidade.
No Bolo de maçã e nozes, também com uma textura grosseira mas menos húmido, usei uma cobertura semelhante mais adocicada.

Para um aniversário ou simplesmente para um lanche de fim de semana, acompanhado com uma chávena de chá preto bem quente servido com um pingo de leite.

Fiz assim...

BOLO DE ANANÁS, NOZ E CENOURA


INGREDIENTES
Para o bolo:
350g de cenoura ralada
200g de ananás em calda picado
125g de miolo de noz picado grossseiramente
6 ovos
300g de açúcar (mistura de amarelo + branco)
240ml de óleo
140g de farinha de trigo sem fermento
1 colher (chá) de fermento em pó
2 colheres (chá) de canela em pó
q.b. sal

Para a cobertura:
200g de queijo creme (tipo philadelphia)
2 colheres (sopa) de açúcar em pó
romã

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Ralar a cenoura, picar o ananás e o miolo de noz grosseiramente, na tábua. Reservar.

Bater os ovos com o açúcar e o óleo.
Juntar a farinha, o fermento e a canela peneirada.
Envolver a cenoura, o ananás e o miolo de noz.

Colocar numa forma redonda untada e com fundo forrado com papel vegetal.
Levar ao forno a 180º cerca 50min. ou até com o teste do palito este sair seco.
Deixar repousar 5min. antes de desenformar.

Para a cobertura bater com as varas de arame o queijo para ficar uniforme, juntar o açúcar e envolver.
Cobrir o bolo completamente frio e decorar com bagos de romã.
Manter no frigorífico até servir.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Costumo usar mistura de açúcares amarelo e branco, mas pode ser usado apenas açúcar branco. O amarelo contribui com alguma humidade na massa e com aroma suave a caramelo;
- A forma a usar poderá ser de chaminé, mas nesse caso, para além do fundo ser forrado com papel vegetal, deverá ser untada com manteiga e polvilhada com pão ralado, para desenformar sem dificuldade;
- Para uma cobertura de queijo creme mais tradicional, mais pecaminosa, combinar 200g de queijo creme com 100g de manteiga amolecida, bater com 2 chávenas de açúcar em pó e aromatizar com baunilha ou outro aroma.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

COELHO À CAÇADOR COM ARROZ

Já há muito que não comia coelho e este soube lindamente.
Caseiro, como se querem os coelhos, porque há por aí muito gato por lebre, pelo menos é o dizem!

O coelho tem uma carne branca, macia, sem um sabor forte, muito do agrado dos garotos, que sem saber o que comiam, bem achavam que era frango.
Só mais tarde desconfiaram que as pernas não tinham o mesmo formato, ora que belos observadores, mas aí já era tarde.

Gosto de coelho guisado, estufado, frito ou assado na brasa. Desta vez surgiu com um arroz mesmo à maneira, malandrinho.

A carne de coelho adere facilmente aos temperos usados, usei tomilho, para lhe dar um aroma mais selvagem, de caça, ou não fosse um Coelho à Caçador. Caçador à minha moda, pois não juntei o sangue como tradicionalmente.

Fiz assim...

COELHO À CAÇADOR COM ARROZ


INGREDIENTES
1 coelho
1 fio de azeite
1 alho francês
1 cebola
2 dentes de alho
2 folhas de louro
1 colher (chá) de colorau
3 colheres (sopa) de polpa de tomate ou tomate pelado
1 piri-piri picado
1 haste de tomilho seco
2 rodelas finas de linguiça (opcional)
sal grosso q.b.

arroz carolino
1 fio de azeite
1/2 cebola
2 dentes de alho
4 rodelas finas de linguiça
sal grosso q.b.

PREPARAÇÃO
Cortar o coelho em pedaços, aproveitando o fígado e o coração.

Picar o alho francês (parte branca e um pouco da verde), a cebola e os alhos.
Aquecer um tacho e colocar o azeite e os vegetais picados.
Acrescentar o louro, colorau, piri-piri, o tomilho e a linguiça, se usar.
Deixar refogar em lume médio até escurecer um pouco, a cebola estar translúcida e a linguiça largar a gordura.

Colocar o refogado num dos lados do tacho e dourar os pedaços do coelho, aos poucos.
Quando todos os pedaços estiverem selados, envolver no refogado e regar com um pouco de vinho tinto.
Deixar evaporar o álcool.
Juntar um pouco de água quente e temperar com o sal.
Mexer um pouco e tapar o tacho.

Deixar cozinhar 30min..

Preparar o arroz levando um tacho ao lume com o azeite, a cebola e os alhos picados.
Juntar as rodelas de linguiça e deixar que a cebola fique translúcida.
Juntar o arroz e envolver bem na cebola.
Juntar o caldo do coelho até cobrir o arroz e temperar com sal.
Tapar o tacho e deixar cozinhar 10min em lume baixo.
Acrescentar mais caldo para que o arroz não seque e deixar cozinhar mais 1-2min..
Desligar 1-2min. antes do arroz estar completamente cozido.

Servir o coelho acompanhado do arroz caldoso.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Usei alho francês congelado. Quando tenho a mais, para não se estragar, lavo, seco e corto-o ao meio longitudinalmente (para depois o apoiar e facilitar o corte na tábua) e transversalmente (para caber no saco :)) e coloco num saco de congelação. Depois quando preciso nem é necessário descongelar, basta picar. Serve para refogados e sopas;
- Usei também polpa de tomate congelada pois quando tenho tomate a mais ou muito maduro, faço um molho ou reduzo a puré, ou mesmo quando abro um frasco de polpa de tomate, para não se estragar, divido nas cuvetes de gelo e no fim de congelado, solto os cubos e guardo em saco plástico. Assim, tenho sempre tomate disponível para ser usado;
- Como a carne de coelho adquire os temperos muito facilmente, não use mais que 1-2 rodelas de linguiça ou chouriço de qualidade ou todo o coelho só saberá ao enchido;
- Em vez de tomilho podem ser usados orégãos secos em rama ou mesmo frescos ou alecrim;
- O vinho tinto escurece o coelho, se preferir pode usar vinho branco;
- Acrescentar água suficiente ao colho para depois poder usar parte do caldo no arroz;
- Para o Coelho à Caçador tradicional, juntar vinho branco no início para o estufado e só depois do coelho pronto, juntar o sangue diluído em vinho tinto, regar e deixar cozinhar mais 10min.. Em vez de tomilho o normal é um ramo de salsa.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

BOLO REI DE 5 MINUTOS

É um Bolo Rei para celebrar o Dia de Reis!

Não que os Reis Magos tenham feito uma viagem rápida, vindos do oriente, em camelos ou dromedários, deve ter sido uma viagem demorada. Mas neste dia, como os grandes festejos já terminaram, todos estamos a trabalhar e não há muito tempo para as várias etapas de repouso requeridas para fazer levedar a massa do Bolo Rei tradicional, esta é uma receita a guardar. Até porque, este bolo, pode ser feito apenas com frutos secos ou mesmo com pepitas de chocolate e retirando o açúcar serve também para versões salgadas. Não sendo necessário ovos para a massa também poderá ser feito naqueles domingos chuvosos, em que apetece algo doce mas cadê os ovos no frigorífico? e não apetece sair para os comprar.

O que o torna este bolo rápido de fazer é que todos os ingredientes são misturados em simultâneo e o fermento usado é o químico, o de bolos. A receita é do blogue La Dolce Rita.
O iogurte usado na massa dá aroma mas sobretudo contribui com a humidade característica do Bolo Rei. O iogurte também pode ser usado em massas lêvedas, como é o caso da Trança de Iogurte com Amêndoa.
Para que a massa seja preparada em 5 minutos é necessário providenciar todos os ingredientes primeiro, para depois só ter de os misturar ;)

Não resulta num Bolo Rei tradicional, como se imagina pela rapidez, mas os aromas são muito semelhantes. A massa não tem a elasticidade e textura características, ficará em tudo semelhante à de scones, mas muito agradável para um belíssimo lanche bem-disposto.

Fiz assim...

BOLO REI DE 5 MINUTOS


INGREDIENTES
Para a massa:
350g de farinha de trigo sem fermento
30g de açúcar
1/4 de colher (chá) de sal fino
2 colheres (chá) cheias de fermento (tipo royal)
2 iogurtes naturais (250g no total)
80g de manteiga derretida
1 laranja (raspas)
1 limão (raspas)
1/2 colher (chá) de canela
1 colher (sopa) de vinho do Porto
150g de fruta cristalizada picada
200g de frutos secos picados grosseiramente

Para a decoração:
1 ovo batido
açúcar em pó q.b.
frutas cristalizadas grandes q.b.
amêndoas inteiras e/ou meias nozes q.b.
geleia de fruta q.b.

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Numa taça grande colocar todos os ingredientes da massa.
Misturar primeiro com a colher de pau e de seguida moldar rapidamente uma bola.

Colocar a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete de silicone.
Moldar o bolo em coroa tradicional.
Pincelar toda a massa com o ovo batido.
Dispor as frutas cristalizadas e algumas amêndoas inteiras e/ou nozes.
Dispor alguns montinhos de açúcar em pó entre as frutas.

Levar ao forno cerca de 30min. ou até ficar dourado e com o lar assado.

Quando sair do forno pincelar todo o bolo e frutas com a geleia e dispor novamente açúcar em pó, por cima dos montinhos anteriormente feitos.

A coroa da escola que não podia faltar.
Muito bonita a deste ano, como sempre, com direito a diamante no centro
e outras "pedras preciosas" em volta!

Com um chá quentinho...

Ainda o lanche vai no adro e já não sobra muito!

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- A massa deste bolo embora consiga ser trabalhada à mão não é para amassar, apenas misturar até ficar coesa e homogénea;
- A geleia que costumo usar para pincelar bolos é a de alperce mas qualquer geleia ou mesmo doce ou compota diluída com 1 colher de água quente e passada por uma peneira ou coador serve para o efeito. Se preferir em vez de geleia pode pincelar com mel ou xarope de ácer, de milho, agave ou semelhante.