quarta-feira, 1 de maio de 2019

AMÊNDOAS COM CHOCOLATE

Páscoa = amêndoas. Amêndoa = semente. Semente = vida, nova vida. Páscoa = nova vida, oportunidade de fazer melhor.

Para além das tradicionais caseiras Amêndoas de Sobremesa,onde se faz uma calda de açúcar e se cozinha até que esta fique açucarada, este ano fizemos estas amêndoas, com um pouco menos açúcar. Rendem menos, mas a saúde agradece.
As amêndoas caseiras são daquelas amêndoas que basicamente são... amêndoas, o chocolate vem apenas aromatiza-las. Não que não goste das comerciais, bem cobertas com chocolate de leite, branco ou negro, mas estas acabam por ser um pouco mais saudáveis :)

Preparam-se rapidamente.
Depois é só degustar ou ensacar para oferecer.

Não há motivos para a fazer apenas na Páscoa, afinal, Páscoa é como o Natal e para além disso sabem sempre bem a acompanhar um café.

Para que os saquinhos tivessem sortido de amêndoas com vários sabores, nesta receita não usei canela e misturei-as no final com as amêndoas das receitas de Amêndoas de Sobremesa e de Amêndoas de Canela.
Todas elas são irresistíveis e são como os tremoços ou as cerejas, nunca conseguimos comer uma apenas.

Fiz assim...

AMÊNDOAS COM CHOCOLATE


INGREDIENTES
100 g de açúcar (ou açúcar em pó se não tiver robot onde o possa pulverizar)
600 g de miolo de amêndoa com pele
100 g de chocolate de leite ou negro

1 colher (chá) de canela (opcional)

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 150 °C

No robot de cozinha:
Reduzir a pó o açúcar, colocando o açúcar no copo do robot e programar 10 seg./vel. 10.
Retirar o açúcar para uma caixa plástica com tampa.

Num tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete se silicone, dispor as amêndoas e espalhar por cima delas 2 colheres (sopa) do açúcar em pó reservado.
Levar ao forno pré-aquecido a 150 °C durante 30 minutos, remexendo-as de vez em quando.
Retirar e deixar arrefecer completamente.

Sem lavar o copo do robot, colocar o chocolate partido em pedaços e programar 10 seg./vel. 5.
Juntar a canela (opcional) e programar 3 min./50 °C/vel. 3 ou até o chocolate estar completamente derretido.
Juntar as amêndoas ao chocolate, envolva um pouco com a espátula e programar 2 min./vel. 1/colher inversa.
Retirar as amêndoas para a caixa plástica onde está o açúcar em pó e tapar.
Agarrando bem a caixa e a tampa, abanar durante 1 minuto as amêndoas, para que fiquem bem envolvidas no açúcar.

No fogão:
Num tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete se silicone, dispor as amêndoas e espalhar por cima delas 2 colheres (sopa) do açúcar em pó.
Levar ao forno pré-aquecido a 150 °C durante 30 minutos, remexendo-as de vez em quando.
Retirar e deixar arrefecer completamente.

Partir o chocolate em pedaços para uma tigela média de vidro e derreter em banho-maria sobre um tacho com água ou levar a taça diretamente ao microondas, aquecendo de 20 em 20 segundo, mexendo sempre em cada paragem, até derreter por completo.
Juntar a canela (opcional) e envolver.
Juntar as amêndoas ao chocolate e envolva nem para que fiquem cobertas.
Colocar o açúcar em pó numa caixa plástica, juntar as amêndoas e tapar.
Agarrando bem a caixa e a tampa, abanar durante 1 minuto as amêndoas, para que fiquem bem envolvidas no açúcar.

Manter as amêndoas fechadas num recipiente hermético e sem muito espaço vazio.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Uma vez que as amêndoas são envolvidas em açúcar em pó, costumo usar chocolate negro para derreter ou metade de chocolate negro e metade de leite, intensifica um pouco mais o aroma a chocolate;
- Já tentei com chocolate branco mas não tive sucesso ainda, como é mais gorduroso não adere às amêndoas como se quer;
- Para envolver, pode-se juntar ao açúcar em pó 1 colher (sopa) de cacau em pó ou 1 colher (chá) de canela, misturando antes de agitar com as amêndoas.

quarta-feira, 17 de abril de 2019

PÃO FOLAR / FOLAR DOCE NA MFP

Há já algumas semanas que a Páscoa tem vindo a ser antecipada, ao lanche.
Por vezes, não apetece tender alguns pães para os assar no forno. Para esses momentos a MFP (máquina de fazer pão) é a solução.

Não fica um folar igual ao assado no forno, mas fica um pão feito com a mesma massa do folar.
A côdea não é exatamente igual, e não há ovos a enfeitar (até poderia haver, mas isso implicaria mais uns minutos para os cozer antecipadamente) mas não pode haver queixas, afinal não houve trabalho nenhum.
Apenas colocar os ingredientes dentro da MFP e deixar que ela prossiga até ao momento em que o aroma é tão intenso que apetece uma fatia ainda quente com manteiga :)

Para além da vantagem de ser prático há a vantagem de se poderem cortar fatias mais regulares e fazer torradas ou mesmo tostas mistas, isso mesmo, uma bela tosta mista com pão folar.

Sugestão para esta semana de férias de Páscoa ou para qualquer outro dia, principalmente para lanches de fim de semana.

A receita é a mesma dos anos anteriores, a do Folar de Páscoa (com mais fotos aqui ou aqui) ou a da massa do Folar de Páscoa com ovo cozido no interior.

Desta vez, o folar das fotos não foi pincelado com gema.

Fiz assim...

PÃO FOLAR / FOLAR DOCE NA MFP


INGREDIENTES
Para a massa:
250 ml de leite morno
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
1 ovo
110 g de açúcar
570 g de farinha T65
1 colher (café) de erva-doce em pó
1 colher (café) de canela em pó
raspa de 1 limão pequeno
100 g de manteiga ou margarina amolecida

PREPARAÇÃO
Na cuba da MFP, juntar os ingredientes pela ordem mencionada.
Seleccionar o programa "Normal", com côdea "Média" e tamanho "1 kg" e deixar prosseguir até ao fim, o que inclui levedar e assar.
O programa demorará sensivelmente 3 horas.

Retirar e deixar arrefecer numa rede.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para que as fatias fiquem mais perfeitas, no fim do 2.º amassar ou se a MFP apitar propositadamente, retirar as pás, puxando com os dedos enfarinhados;
- Se pretender decorar com ovos, cozer os ovos em água com cascas castanhas e secas de cebola e sal. Escorrer e reservar;
- Quando a MFP terminar o 2.º amassar, selecionar "Pausa" ou agir rapidamente, retirando um pouco da massa e as pás. Dispor 1-2 ovos em cima da massa, calcando um pouco sobre cada ovo e decorando com um rolinho de massa feito com a porção retirada. Pincelar com ovo batido.

quinta-feira, 21 de março de 2019

BOLACHAS DE MANTEIGA DE AMENDOIM

Convencem qualquer um, pelo menos aqui em casa desaparecem rapidamente.
Ainda tive tempo de beber café com duas destas bolachas, mas não muito mais que isso.

Os frascos de vidro para bolachas têm um defeito, permite visualizar o que têm dentro!

Amanteigadas, levemente areadas, com o sabor inconfundível do amendoim, amendoim torrado, e do caramelo do açúcar amarelo ou mascavado. A receita é a que acompanha os carimbos de bolachas Nordic Ware.
No pão, a combinação da manteiga de amendoim com um doce ou geleia, geralmente de morango, é vencedora. Nestas bolachas o amendoim voltou a encontrar-se com o lado adocicado.

Vim mais tarde a lembrar-me que poderia ter mergulhado parcialmente as bolachas em chocolate de leite derretido, ficará para a próxima, numas bolachas que pelo sabor serão as Bolachas Snickers, por terem de certo o sabor dos chocolates homónimos.

Só nesta descrição ficaram algumas das minhas perdições: manteiga de amendoim e doce de morango, manteiga de amendoim e chocolate (Snickers é um das minhas barras de chocolates preferias)... e outra não referida, a Tosta de banana e manteiga de amendoim, tal como o rei Elvis!

Fiz assim...

BOLACHAS DE MANTEIGA DE AMENDOIM


INGREDIENTES
Rende 36 bolachas
250 g de manteiga amolecida
150 g de açúcar mascavado claro ou açúcar amarelo
150 g de açúcar branco
375 g de manteiga de amendoim creamy (lisa, sem pedaços)
2 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
315 g de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de fermento em pó
1/4 colher (chá) de sal fino

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180 °C.

Na taça da batedeira colocar as manteigas e os açúcares e bater em velocidade média até obter uma creme macio.
Acrescentar os ovos, a baunilha, a farinha, o bicarbonato, o fermento e o sal e bater até misturar bem.
Reservar a massa no frigorífico por 30 minutos-1 hora.
Com uma colher retirar porções semelhantes, enrolar rapidamente com as palmas das mãos, formando bolas de tamanho de nozes.

Dispor as bolas de massa, suficientemente afastadas, num tabuleiro forrado com papel vegetal ou tapete de silicone.
Com os carimbos de bolachas espalmar as bolas de massa.
Levar ao forno por cerca de 10-15 minutos, vigiando para que não ganhem muita cor nas margens.

Deixar arrefecer sobre o papel ou tapete.

Guardar num frasco apenas no fim de completamente arrefecidas.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- A manteiga de amendoim crunchy, com pedaços, não facilita a moldagem das bolachas;
- Não tendo carimbos específicos para bolachas podem usar-se outros utensílios para espalmar as bolas de massa como: plástico de bolhas (daqueles de proteção que todos gostam de rebentar, os dentes de um garfo, o fundo de um copo, a tampa de plástico das garrafas de espumante (têm sulcos radiais)...

quinta-feira, 14 de março de 2019

ÆBLESKIVER DE ERVAS VERDES RECHEADAS COM SALSICHA FRESCA E COBERTAS COM MOLHO DE TOMATE E MAJERICÃO

Várias vezes faço, para o lanche, aebleskiver, as panquecas dinamarquesas.
Os recheios ou as coberturas possíveis são infinitas, como nas panquecas convencionais.

Também não foi a primeira vez que as fiz em versão salgada. Com queijo e ervas na massa, cubos de queijo mozzarela e tomate, cubos de fiambre... já foram versões aprovadas para entradas. Agora que escrevo surgiu a ideia das próximas ableskivers salgadas serem recheadas com alheira e maçã ou farinheira ou então com queijo feta e azeitonas pretas ;)

A novidade desta sugestão é terem servido como refeição. Voltei a usar ervas verdes frescas picadas na massa e recheei-as com salsicha fresca, que gosto salteada ou grelhada, como no Salteado de salsichas frescas com uvas que muito aprecio e que repito de vez em quando. O molho de tomate e manjericão, muito aromático, foi o mote, tinha sobrado de uma preparação e por isso simplificou esta refeição de semana.

Usei a mesma receita que já indiquei aqui, ligeiramente alterada da do "O livro do Hygge", mas por se tratar de versão salgada eliminei por completo a colher de açúcar.

Fiz assim...

ÆBLESKIVER DE ERVAS VERDES RECHEADAS COM SALSICHA FRESCA E COBERTAS COM MOLHO DE TOMATE E MANJERICÃO


INGREDIENTES
Para as ableskiver:
3 ovos (gemas e claras separadas)
450 ml de leitelho (ou leite + 1 colher (sopa) de vinagre)
250 g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de açúcar (opcional)
1/2 colher (chá) de fermento em pó
3 colheres (sopa) de manteiga derretida
1/4 colher (chá) de sal fino
pimenta preta moída q.b.
ervas verdes frescas picadas

manteiga clarificada (para ir untando a frigideira)

Para o recheio:
salsichas frescas
fio de azeite

Para o molho de tomate rápido:

1 dente de alho
1 folha de louro
1 lata pequena de tomate pelado
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de vinagre balsâmico
sal q.b.
pimenta moída q.b.
folhas de manjericão fresco

PREPARAÇÃO
Preparar as salsichas, cortando uma das extremidades e com o polegar e indicar apertar pequenas porções e fazer deslizar na pele.
Saltear numa frigideira com um fio de azeite.
Reservar.

Para as ableskiver, separar as gemas das claras.
Numa taça misturar as gemas com o leite.
Acrescentar a farinha, o fermento, a manteiga derretida, o sal, a pimenta e as ervas picadas.
Misturar ligeiramente a massa e deixar repousar 30 minutos.

Bater as claras em castelo e envolver na massa.

Aquecer muito bem a frigideira e dispor uma pequena noz de manteiga clarificada em cada cavidade. Deixar fumegar um pouco e verter a massa em casa cavidade até cima.

No fim de cobrir todas as cavidades, começar por ordem, a levantar, com a ajuda de um espeto ou palito (ou agulha de crochet) a massa cerca de 90°. Repetir em todas as cavidades.
Com o espeto girar a massa a 90° mas lateralmente. Repetir em todas as cavidades.
Rechear com um pedaço de salsicha salteado e girar a massa completando a esfera. Repetir em todas as cavidades.

Retirar para um prato ou grelha.

Preparar o molho de tomate aquecendo um fio de azeite e saltear muito ligeiramente um alho finamente picado e o louro.
Juntar o tomate pelado picado, o açúcar e o vinagre balsâmico.
Deixar levantar fervura, diminuir o lume para médio-baixo e deixar para cozinhar o tomate.
Temperar com sal e pimenta.
Acrescentar folhas de manjericão picadas.
Servir quente sobre as ableskiver com algumas ervas verdes frescas (salsa, coentros, cebolinho...)

Acompanhar com uma salada de vegetais.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- O molho pode ser preparado em maior quantidade no fogão ou no robot e guardada a sobra, num frasco, no frigorífico ou numa caixa plástica ou saco no congelador, estando disponível para um refogado ou molho de pizza;
- Não tendo manjericão fresco pode-se substituir por 2 colheres (sopa) de pesto de compra.

terça-feira, 5 de março de 2019

BOLO DE NOZ, AMÊNDOA E AVELÃ COM RECHEIO DE FRUTOS VERMELHOS E COBERTURA DE GANACHE DE CHOCOLATE

Bolos são sempre bolos, mas há aqueles bolos que se preferem aos demais, pela textura, sabor, ingredientes, aspeto...
Sou fã incondicional de frutos secos, pelo que quando usados em bolos, para mim, elevam-os a outro nível.
Este bolo foi feito pelo meu aniversário, mas só agora aqui aparece, unindo os meus sabores preferidos à natureza da estação.

Claro que não podia faltar algum chocolate, afinal é aniversário :) e um recheio, para contraste de sabor, textura e visual.
A combinação de sabores é muito boa, o chocolate da cobertura liga-se ao aroma das avelãs, o doce de frutos vermelhos aos frutos secos picados, numa massa que não é muito doce.

Com os mesmos ingredientes do bolo pode obter-se um bolo de textura mais fina, mais delicado, optei por uma textura grosseira para sentir os diferentes sabores.
Gosto deste tipo de bolo de miolo grosseiro como se pode ver pelo Bolo de maçã e noz com cobertura de queijo creme e no Bolo de ananás, noz e cenoura com cobertura de queijo creme.

Fiz assim...

BOLO DE NOZ, AMÊNDOA E AVELÃ


INGREDIENTES
Para o bolo:
200 g de miolo de noz
100 g de miolo de amêndoa
100 g de miolo de avelã
6 ovos
150 g de açúcar branco
50 g de açúcar amarelo
100 g de manteiga amolecida
100 g de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
50 ml de moscatel ou vinho do Porto

Para o recheio:
doce de frutos vermelhos

Para a cobertura de ganache de chocolate
100 g de chocolate 81% cacau
100 g de chocolate de leite
100 ml de natas

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180 °C
Picar grosseiramente os frutos secos. Reservar.
Na taça da batedeira colocar a manteiga e os açúcares e bater até obter um creme esbranquiçado e mais fofo.
Acrescentar os ovos e o vinho moscatel/porto e bater uma pouco mais até espumar.
Juntar os frutos secos picados, a farinha e o fermento e envolver bem sem bater em demasia.

Verter para uma forma de 26 cm de diâmetro, previamente untada e com o fundo forrado com papel vegetal.

Levar ao forno a 180 °C cerca de 45 minutos, fazendo o teste do palito 10 minutos antes.

Desenformar sobre uma grelha para arrefecer.
Cortar o bolo a meio longitudinalmente, no fim de frio.

Para rechear, aquecer um pouco o doce de frutos vermelhos no microondas para facilitar ao espalhar.
Rechear a camada de baixo com o doce e cobrir com a camada superior.

Para a cobertura de ganache de chocolate aquecer as natas até fervilhar.
Juntar às natas os chocolates partido e aguardar uns minutos para que derretam.
Mexer para homogeneizar e dispor sobre o bolo.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Piquei o miolo de noz 10'/vel. 4 e o miolo de amêndoa e de avelã 10'/vel. 5. Pode ser mais picado até se obter uma areia mais fina ou picar mais finamente a amêndoa e deixar a avelã e a noz ligeiramente mais grosseiras;
- Outro doce pode ser usado para recheio, como de framboesas ou de pêssego ou alperce. Se o doce que tiver for muito denso, aquecer ligeiramente no micrrondas e juntar-lhe 1 colher de vinho do porto par ao tornar mais fluido.

domingo, 24 de fevereiro de 2019

BARRIGA DE PORCO ASSADA NO FORNO

Pode não ser para comer todos os dias, mas de vez em quando sabe lindamente.
No verão, as febras grelhadas nunca vêm só. As tiras finas de entremeada grelhada, lentriscas, são bem típicas na chamada "grelhada mista".

De inverno, a peça inteira assada no forno é ótima.
Deve escolher-se uma peça fina de entremeada, que proporcionalmente tem mais carne que gordura.
A carne é cozinhada lentamente pelo que perde grande parte da gordura (que se aproveita sob a forma de banha de porco), tornando-se macia e bastante húmida.

É cozinhada apenas com algum sal, pouco, pelo que se acompanhada com arroz de feijão, por exemplo, e verduras cozidas tornam mais equilibrada a refeição.

Acabada de fazer, ainda quente apresenta a pele, courato, bem estaladiço, ótimo contrate de textura.
Fica com sabor parecido com os torresmos de carne. Mesmo as sobras já frias tornam-se viciantes.

Fiz assim...

BARRIGA DE PORCO ASSADA NO FORNO


INGREDIENTES
1 barriga de porco sem osso
sal grosso q.b.
pimenta moida q.b. (facultativo)

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180 °C.

Secar a pele da entremeada com papel de cozinha, para que seja mais fácil de cortar e assar.
Com uma faca afiada fazer cortes, apenas na pele, paralelos, espaçados por um centímetro.
Temperar com sal e com pimenta, se for o caso.

Dispor a peça inteira ou cortada ao meio numa frigideira grande de ferro (que possa ir ao forno) ou tabuleiro, com a pele virada para baixo.
Levar ao forno cerca de 1h.
Virar as peças, colocando a pele voltada para cima, e deixar assar mais 30 minutos.

Retirar as peças para uma tábua ou prato.

Acompanhar com arroz de feijão e grelos cozidos.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Desta vez tinha o forno pré-aquecido a 200 °C por ter assado pão e como usei uma frigideira de ferro fundido, aqueceu um pouco de mais e chamuscou em demasia a pele. Não se deve comer essas partes mais torradas;
- No fim de retirar a carne da frigideira ou tabuleiro, escorrer a gordura líquida para uma taça e no fim de fria ou sólida colocar numa caixa plástica (reutilizar uma caixa das de manteiga) e guardar no frigorífico. Usar a banha para cozinhar carnes na frigideira ou no forno;
- A carne que sobrar costumo acabar por fatiar, no fim de frio, e guardar no frigorífico. Ótimo para levar na marmita ou cortando em pequenas tiras, como entrada.