terça-feira, 18 de abril de 2017

ROLOS DE PERU RECHEADOS COM QUEIJO CREME E ESPINAFRES

Durante a semana ou se tem tempo à hora de almoço de dar um avanço no jantar ou se têm de preparar algumas refeições com alguma antecedência e congelar.
Embora estes rolos possam parecer complicados, foram enrolados à hora de almoço e mantidos no frigorífico. à hora de jantar, acabaram por cozinhar sem grandes vigilâncias e por serem acabados no forno também os manteve quentes até serem servidos.

Estes rolos são muito saborosos e suculentos e pelo formato enrolado da carne, tal como aqui, e por terem alguns ingredientes-chave, sempre do agrado, como são o queijo e o molho de tomate, os espinafres (quase que) têm desculpa de estarem incluídos. Se bem que, ainda podem surgir comentários do género "Estão ótimos... aquela coisa verde até nem era precisa!". Mas sim é precisa, quanto menos verduras se põem na mesa menos se comem. É como a história do "Calça as meias, não andes descalço no chão frio" "Veste o casaco, está frio lá fora", ordens que até podem não ser integralmente cumpridas, mas é importante que se continuem a dar, um dia serão necessárias!

Voltemos ao peru... foi cozinhado ao vapor apenas porque neste seria impossível estar de vigia à frigideira, porque os rolos podem ser selados e dourados na frigideira com um fio de azeite e levados ao forno a seguir. Aliás, se usar uma frigideira que possa ir ao forno, pode cozinhar do início ao fim na mesma frigideira poupando tempo e trabalho.

Fiz assim...

ROLOS DE PERU RECHEADOS COM QUEIJO CREME E ESPINAFRES


INGREDIENTES
Para 3 pessoas
Rolos de peru:
5 bifes de peru grandes mas finos
100g de queijo creme
50g de folhas de espinafre
sal fino q.b.
pimenta moída q.b.

Molho de tomate:
3 tomates maduros sem pele ou tomate pelado enlatado
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1 fio de azeite
150ml de água ou vinho branco
sal q.b
pimenta moída q.b.
1 colher (chá) de orégãos secos em folhas ou manjericão

PREPARAÇÃO
Esticar os bifes de peru na tábua e barrar com o queijo creme.
Temperar com sal e pimenta,
Cobrir com folhas de espinafre, enrolar e prender com um palito.
Colocar sobre papel vegetal, formar um embrulho e cozinhar 20 minutos a vapor (já com a água a ferver).

Preparar o molho de tomate colocando numa caçarola o azeite e a cebola picada.
Deixar cozinhar uns minutos e juntar o alho picado e o tomate em pedaços.
Assim que começar a secar juntar um pouco de água ou de vinho branco.
Temperar com sal, pimenta e orégãos e deixar cozinhar em lume médio uns minutos para reduzir o caldo.

Dispor os rolos de peru já cozinhados num refratário, cobrir com o molho de tomate e espalhar o queijo por cima.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, cerca de 20 minutos, até o molho borbulhar e o queijo derreter e dourar.
Servir acompanhado de arroz ou batata e verduras cozidas ou salada de folhas verdes.



NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Ao cozinhar no robot de cozinha preparei o molho de tomate no copo e os rolos de peru no vapor ao mesmo tempo que os grelos, no nível inferior. Como tinha arroz já preparado não o cozinhei na altura, mas ainda poderia ser preparado no cesto! Tudo em um [se assim fizer, ao molho no copo deve ser acrescentada água suficiente para cozer o arroz que estará no cesto. No forno o molho engrossará um pouco];
- O molho de tomate é um molho simples, que não deve ser muito espesso pois ainda irá ao forno e servirá para "temperar" os legumes cozidos e/ou o arroz ou batatas;
- As quantidades indicadas, como é óbvio, podem variar de mesa para mesa, dependendo do conhecimento da voracidade dos comensais ;)

segunda-feira, 3 de abril de 2017

FOLAR DE PÁSCOA COM OVO COZIDO NO INTERIOR

Com a Páscoa a chegar a passos largos, eis que urge começar a preparar as barriguinhas :) Que é como quem diz, comecemos a tomar o pequeno-almoço com folar torrado ou levar para a merenda folar e ovo cozido.
Sempre adorei os ovos cozidos dos folares, talvez por serem cozidos com a casca de cebola, ficam muito mais aromáticos. Mas gosto mesmo deles é comidos em conjunto com o folar, às dentadas alternadas...

Em vez do formato tradicional do folar que faço aqui, aqui e aqui, com ou sem ovo em cima, ou com formato entrançado sem ovos na massa, resolvi tende-los em porções individuais e com o ovo cozido no interior. Tornam-se muito práticos para transportar, sem o inconveniente de ter que descascar o ovo.
Podem ser tendidos em miniatura, no formato mais tradicional ou enformando, como foi também o caso. De outras vezes de folares enformados usei formas de bolo inglês, também práticas para colocar os ovos em fila e para depois cortar à fatia.

A massa, como sempre, é a mesma do Folar de Páscoa e pode ser feita no robot de cozinha, na batedeira, na máquina de fazer pão (MFP), como foi o caso, ou à mão, como aqui, no ano passado.

Ficaram aprovados!

Fiz assim...

FOLAR DE PÁSCOA COM OVO COZIDO NO INTERIOR


INGREDIENTES
Para a massa:
250ml de leite morno
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
1 ovo
110g de açúcar
570g de farinha T65
1 colher (café) de erva-doce em pó
1 colher (café) de canela em pó
raspa de 1 limão pequeno
100g de manteiga ou margarina amolecida

Para decorar:
ovos cozidos
1 ovo (pincelar)

PREPARAÇÃO
Cozer os ovos em água e sal, desligando a água no fim de ferver e deixando cozinhar 5 minutos. Escorrer e reservar.

Na MFP:
Na cuba da MFP, juntar os ingredientes pela ordem mencionada.
Selecionar o programa "Massa" e deixar prosseguir até ao fim, o que inclui levedar. A massa no início parece pegajosa, mas com o amassar e levedar irá ficar macia, elástica e desprender-se.

À mão ou na batedeira:
Na tigela mexer o fermento e o leite morno. Juntar o açúcar e o ovo e bater. Acrescentar a canela, a erva-doce e a raspa de limão. Bater com a colher de pau ou na batedeira com a pinha.
Juntar a farinha e bater com a colher de pau ou na batedeira com os ganchos da massa.
Acrescentar a margarina e mexer até ser absorvida.
Polvilhar a massa com farinha.
Deixar levedar, tapado com um pano e cobertor, sensivelmente 1h30 ou até duplicar de volume.

Em ambos os processos:
Retirar a massa, que estará macia, e separar desta um pedaço equivalente a uma tangerina, para a decoração.
Dividir a massa em porções dependendo das formas a usar.
Abrir um pouco a massa e colocar um ovo cozido e fechar a massa em volta.
Enfarinhar ou não as formas a usar e dispor as massas

Dividir a massa, que foi separada para decoração, em número igual à das porções de massa e fazer rolinhos em cada porção. Dividir cada rolo a meio e fazer uma cruz em cima de cada ovo.

Pincelar com o ovo batido e deixar descansar 15min. enquanto o forno aquece.
Levar ao forno pré-aquecido, a 180ºC durante 20-35 minutos, dependendo do tamanho dos bolos.

Retirar e deixar arrefecer numa rede.

Rende 1 folar com 1,2kg, 2 de 600g ou +/- 9 de 140g.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Como os ovos estão descascados a conservação dos bolos é mais dificultada, pelo que aconselho a conservar as sobras numa caixa plástica hermética no frigorífico.

quarta-feira, 22 de março de 2017

ARROZ PRIMAVERA - ARROZ DE AÇAFRÃO-DAS-ÍNDIAS COM MILHO, ERVILHAS E CENOURA

A primavera está aí, embora envergonhada, mas a luz e os aromas denunciam-na.
Este arroz foi inspirado nas cores dos campos do Lis, que já estão por aí floridos. Se há anos em que as margaridas brancas com centro amarelo dominam, este ano tenho encontrado os campos bem mais amarelos.
Por isso, hoje sai um arroz amarelo pintalgado de verde e laranja. Bem bonito, para dar ainda mais cor ao prato, à refeição e à vida :)

Não é que este arroz tenha segredo, mas aproveito para aqui deixar as quantidades já que muitos me perguntam como deixo o arroz branco solto. A maneira de fazer o arroz branco é igual a esta, apenas acrescentei um pouco de açafrão e os legumes.
Não há grandes truques, apenas lavo o arroz, o deixo fritar um pouco no azeite até secar e cozo-o em calor mínimo sem o mexer.
Aqui por casa, o arroz branco simples é sempre o de maior sucesso. E tem grandes vantagens, pois guardado no frigorífico, permite ser aquecido continuando como no primeiro dia. mas pode vestir nova roupa, acrescentando ervilhas cozidas e pequenos cubos de fiambre e ovo mexido, transforma-se em arroz chao chao, pode ser aquecido apenas com um pouco de manteiga ou com queijo para derreter, ser usado num empadão...
Como há apreciadores de arroz com passas, disponho algumas passas sobre metade do arroz enquanto está a cozer e assim agrada a todos.

90% do arroz que uso é carolino, nacional, parte dele integral. Já o arroz agulha, basmati e arboreo ou carnaroli são usados apenas em pratos específicos como caril e risotto.

Ervilhas e cenouras nunca agradam, mas como acompanhavam uns panados de peru, nada restou no prato. Tenha sido dos panados ou da cor do arroz o importante é que alguns legumes foram consumidos.

Fiz assim...

ARROZ PRIMAVERA - ARROZ DE AÇAFRÃO COM MILHO, ERVILHAS E CENOURA


INGREDIENTES
2 medidas de arroz carolino
3,5 medidas de água quente
azeite ou óleo
1/2 cebola média/pequena
2 dentes de alho
sal
1 colher (chá) de açafrão-das-índias ou curcuma
1 cenoura
ervilhas congeladas
milho congelado

PREPARAÇÃO
Descascar e cortar a cenouras em lâminas e depois em cubos pequenos.
Picar finamente a cebola e os alhos.

Num tacho médio aquecer azeite que cubra ligeiramente o fundo.
Colocar a cebola e deixar cozinhar em lume médio até que fique murcha e levemente transparente.
Acrescentar a cenoura e continuar a saltear.
Juntar o arroz lavado e deixar fritar mexendo sempre.
Quando começar a agarrar ao fundo juntar os alhos picados e o açafrão.
Acrescentar a água e mexer bem.
Acrescentar as ervilhas e o milho e tempere com sal.

Diminuir o lume para o mínimo e tapar.
Deixar cozinhar 12 minutos, mas no final de 10 minutos com um garfo provar alguns bagos para ver a consistência.
Desligar e deixar mais 5 minutos tapado.

Desmanchar o arroz com o garfo ainda quente e deixar tapado até o servir com uma colher.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Não exagerar na cebola usada, quando em demasia o arroz não fica solto. Se não tiver cebola não haverá grande problema, desde que use os alhos picados;
- Os alhos não devem ganhar cor, por isso, apenas os acrescento quando a cebola estiver pronta;
- Durante a cozedura não mexer o arroz, deixá-lo em repouso;
- Enquanto o arroz coze manter o calor no mínimo (em fogão elétrico nível 2).

quarta-feira, 15 de março de 2017

CREPES À BOLONHESA GRATINADOS

Esta é sugestão que é sempre do agrado dos comensais quer estes sejam pequenos ou graúdos.
Se há refeições que não tem reclamações são aquelas que são gratinadas e que incluem queijo, molho béchamel... ou que incluem massa, carne picada, molho de tomate...
Com estes simples ingredientes permite-se dar a volta a algumas sobras de carne ou peixe, assados ou cozidos.

A carne à bolonhesa é sempre preparada em quantidade que possa ser servida no dia, e para poupar esforços, tempo e recursos, também é reservada ou congelada para outras refeições como empadão, lasanha, cannellonis e outros pratos gratinados. Desta forma, acelera-se uma refeição da semana, quando o tempo é sempre escasso.
Da mesma forma, preparo o molho de tomate e congelo em doses já que todas as semanas é sempre utilizado em várias situações, desde para molho de pizza a arroz de tomate ou algum refogado.
Pode não parecer mas rapidamente se prepara esta refeição durante a semana, quando se tem estes elementos congelados. Apenas o molho béchamel é preparado no momento.

Estas folhas de crepes podem ser preparados no dia anterior, mantidas num prato e fechadas em saco plástico ou até fazer a montagem completa mantendo no frigorífico.
Os crepes poderão ser servidos como nesta sugestão imitando cannellonis gratinados ou com os mesmo ingredientes mas em pratos individuais como nos Crepes de Frango e Cogumelos.

Fiz assim...

CREPES À BOLONHESA GRATINADOS


INGREDIENTES
folhas de crepes
carne à bolonhesa (cozinhada com cebola, alho, aipo, vinho, sal, pimenta, tomate pelado e orégãos)
molho de tomate (cozinhado com cebola, alho, tomate pelado, açúcar, sal, pimenta, manjericão e orégãos)
molho béchamel (temperado com sal, pimenta e noz moscada)
200 g de queijo creme
queijo ralado

PREPARAÇÃO
Fazer as folhas de crepes.
Sobrepor as folhas num prato, para se manterem húmidas e maleáveis.

Preparar o molho béchamel. Reservar.

Numa taça juntar a carne à bolonhesa com o molho de tomate e envolver bem.
Misturar o queijo creme.

Montar os crepes com o recheio da carne.
Dispor os crepes num refratário, cobrir com o molho béchamel e com o queijo ralado.

Levar ao forno até o molho borbulhar ligeiramente dos lados e/ou gratinar.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se não tiver molho de tomate e/ou béchamel, pode ser optar pelo de compra. Embora nunca tenha usado molho béchamel embalado, já usei alguma vezes molho de tomate de frasco, apenas temperado com manjericão;
- Como todos os ingredientes estão cozinhados, basta alguns minutos no forno para gratinar a superfície. Se manteve a montagem no frigorífico, então deixar no forno mais alguns minutos, até borbulhar ligeiramente, para que os crepes aqueçam por dentro também;
- Se preferir aquecer a carne e misturar o molho de tomate, porque estando congelados assim lhe facilita o processo, deixar arrefecer a mistura antes de envolver o queijo creme, para que este não deslasse.