quarta-feira, 25 de maio de 2016

LENTILHAS COM BACON E OVOS ESCALFADOS

Gosto de leguminosas.
As crianças tendem a não gostar de leguminosas, eu não achava piada nenhuma, mas é importante variar nos ingredientes das refeições, mostrando diferentes texturas, cores, sabores e aromas.

As lentilhas podem ser cozinhadas com ou sem carne, com diferentes ervas e especiarias, dando-lhes um sabor mais português, como na Lentilhada - Lentilhas com chouriço e ovos escalfados, ou mais indiano como no Tarka Dahl - Lentilhas com gengibre à indiana.
Podem ser servidas num prato mais caldoso ou mais seco, tal como nos pratos de arroz, ao gosto de cada um.

Desta vez o chouriço foi substituído por bacon, pois há que agradar também aos mais pequenos, sem tomilho (que costumo usar, mas substituí apenas por orégãos pois queria um sabor mais fresco) e sem tomate, apenas um apontamento do seu concentrado para lhe dar alguma cor e acidez.
A decorar mas principalmente a dar sabor, salsa e hortelã frescas (que começam a abundar nos canteiros) picadas para lhe dar uma frescura contrastante.

Fiz assim...

LENTILHAS COM BACON E OVOS ESCALFADOS


INGREDIENTES
Para 4 pessoas
1 fio de azeite
1 cebola
2 dentes de alho
200g de bacon
2 folhas de louro
1 piri-piri ou pitada de pimenta de caiena (opcional)
2dl de vinho branco
250g de lentilhas verdes
1 colher (sopa) de concentrado de tomate
1/2 colher (chá) de orégão em folhas
2 tiras de pimento vermelho
sal q.b.
pimenta moída q.b.
água quente

6 ovos
salsa
hortelã

PREPARAÇÃO
Demolhar as lentilhas por 2h.

Num tacho levar a lume médio o azeite e a cebola picada.
Assim, que a cebola ficar macia juntar o bacon, os alhos picados e as folhas de louro.
Cozinhar em lume médio para que o bacon solte alguma da gordura.
Refrescar com o vinho branco e deixar evaporar o álcool.

Adicionar as lentilhas, o concentrado de tomate, os orégãos e o pimento.
Temperar com sal e pimenta.
Juntar água quente suficiente até cobrir as lentilhas.
Tapar o tacho e deixar cozinhar em lume médio-baixo por 15min. ou até as lentilhas estarem macias.

Abrir um ovo para uma pequena taça e vertê-lo numa cavidade feita com uma concha na superfície das lentilhas.
Repetir o procedimento para os restantes ovos.
Tapar a panela e levar a lume médio, cerca de 2min. ou a gosto da cozedura dos ovos.
Retirar e servir bem quente.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Na eventualidade das lentilhas não cozerem o suficiente para que algumas se desfaçam e engrossem o caldo, antes de adicionar os ovos, retirar uma concha de lentilhas para uma taça e triturar com a varinha mágica, voltando a adicionar este puré ao tacho das lentilhas cozinhando mais 1min. (se for experiente, pode triturar diretamente no tacho, 1-2 segundos, sem mover a varinha mágica de sítio).

quinta-feira, 12 de maio de 2016

MUSSE DE LIMÃO COM BOLACHA

Uma das minhas sobremesas favoritas, a Tarte de Limão Merengada, estava presente em qualquer festa de aniversário, ao longo da minha infância.
Adorava o seu recheio simples, que a minha mãe fazia, batendo apenas leite condensado e sumo de limão.
Claro que também gostava do merengue (aproveitamento das claras, pois as gemas eram usadas na massa) branco e com as pontas caramelizadas, contratastes, onde se formavam pequenas gotículas, como se de orvalho se tratasse, mas o recheio... esse era divinal, cítrico, para os amantes de limão, claro.

Esta musse de limão é em muito semelhante ao sabor e aroma da tarte de limão, mas mais prática de se fazer.
É de preparação rápida na batedeira ou no robot de cozinha, de onde vem a sugestão original.Relativamente ao recheio da tarte, esta musse inclui, ainda, leite evaporado para lhe dar uma textura mais suave, e a bolacha simula o aroma da massa da tarte.

Fiz assim...

MUSSE DE LIMÃO COM BOLACHA


INGREDIENTES
100g de bolacha maria
1 lata de leite condensado
1 lata de leite evaporado
120ml de sumo de limão
raspas dos limões (decoração)

PREPARAÇÃO
Triturar as bolachas no almofariz ou batendo-as num saco plástico. Reservar.

Na taça da batedeira colocar o leite condensado e o evaporado e bater com a pinha durante 1 minuto.
Acrescentar o sumo de limão e bater mais 30 segundos.

Numa taça de servir dispor o creme em 3 camadas entremeando com a bolacha triturada. Reservar a bolacha da última camada.
Levar ao frigorífico (no mínimo 2h) e antes de servir decorar com a bolacha reservada e raspas de limão.

Na Bimby:
Triturar as bolachas 5s/vel.7 (no original 10s/vel.9). Reservar.
No copo com a borboleta colocar os leites e bater 1min/vel.3.
Juntar o sumo de limão e bater 30s/vel.3.
Dispor em camadas como indicado.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Poderá triturar finamente as bolachas ou grosseiramente deixando pequenos pedaços que contribuem para a textura final;
- Em vez de sumo de limão pode ser usado sumo de lima ou mistura de sumo de limão e lima;
- A musse pode ser feita apenas com o creme, sem as bolachas ou em vez destas ser usado polpa de maracujá entre as camadas.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

BACALHAU COM NATAS

Todos têm a sua versão de bacalhau com natas.
Sempre achei que esta versão já por aqui andava no blogue, até fui confirmar no histórico e não encontrei. Talvez por repeti-la tantas vezes ao longo destes anos, achava que já a teria publicado. De qualquer das formas vai sempre a tempo, e o tempo dela é... hoje.

Sem grandes segredos: bacalhau, batata, cenoura e molho béchamel com natas (molho branco).

Ao contrário de outras sugestões de bacalhau em que aproveito o peixe já cozinhado para o incluir noutra preparação, para o bacalhau com natas começo sempre do zero. Talvez porque acabo por fazer uma porção a mais e congelar para uma refeição mais descontraída de fim de semana.

É perfeito para servir em ocasiões com muitos convivas sentados ou mesmo para um aniversário ou outra festa self-service. Desta vez serviu para comemorar a 1.ª comunhão do caçula, tendo feito porções duplicadas.
O facto de se poder fazer com alguma antecedência também a torna muito prática.

Fiz assim...

BACALHAU COM NATAS


INGREDIENTES
400g de bacalhau demolhado descongelado
azeite q.b.
1 cebola grande
4 dentes de alhos
2 folhas de louro
400g de cenouras
1kg de batatas fritas em cubos pequenos

Para o molho branco (molho béchamel com natas):
1l de leite
60g de farinha de trigo
60g de manteiga
noz moscada moída q.b.
sal q.b.
pimenta branca moída q.b.
200ml de natas

Decoração:
pão ralado

PREPARAÇÃO
Começar por escaldar as postas de bacalhau em água a ferver. Deixar na água por 30-40min. EM alternativa cozer o bacalhau.
Escorrer o bacalhau, limpar de peles e espinhas, lascar e reservar.

Picar ou ralar as cenouras. Reservar.

Fritar as batas em óleo abundante.
Escorrer sobre papel absorvente. Reservar.

Ao mesmo tempo que se fritam as batatas preparar o molho branco.
Num tacho pequeno, derreter a manteiga e juntar a farinha e mexer para absorver toda a gordura.
Adicionar o leite aos poucos, dissolvendo sempre a farinha para não ganhar grumos.
Temperar com noz moscada, sal e pimenta e deixar cozinhar até engrossar, mas não muito.
Juntar as natas ao béchamel e envolver.

Num tacho saltear a cebola picada, os alhos e as folhas de louro em azeite.
Deixar cozinhar alguns minutos, em lume médio, sem deixar ganhar muita cor.
Acrescentar um pouco mais de azeite se secar.
Juntar a cenoura ralada e saltar um pouco.

Retirar as folhas de louro e acrescentar o bacalhau e envolver.
Transferir tudo para uma taça ou bacia grande.
Misturar as batatas.
Envolver 3/4 do molho branco.

Dispor num pirex ou refratório.
Alisar bem a superfície e cobrir com o restante molho branco.
Polvilhar com pão ralado e/ou queijo ralado.

Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC até que borbulhe nos lados e fique dourado.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Antes cozia o bacalhau como tradicionalmente, e ainda o faço se tiver pouco tempo, mas quando o bacalhau é de boa qualidade prefiro apenas escaldá-lo com água a ferver e deixá-lo na água por meia hora ou um pouco mais. Ficará com mais sabor, mais húmido e lasca bem melhor;
- Para fazer o béchamel na bimby seguir as indicações base. No copo colocar o leite, a farinha e a manteiga e programar 10min./90ºC/vel. 4. Juntar as natas e envolver alguns segundos;
- Gosto de manter o molho branco um pouco mais líquido pois ao envolver os restantes ingredientes e no fim de ir ao forno acaba por secar. Ao mantê-lo mais líquido o bacalhau fica mais cremoso;
- Junto com o pão ralado pode ser usado queijo ralado também, se bem que eu adorando queijo de qualquer tipo, até o dispenso neste prato;
- No fim de pronto e antes de ir ao forno, um dos pirex ou refratário pode ser congelado que ficará muito semelhante após ter ido ao forno. Poupa-se assim muito tempo.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

BOLO DE CENOURA E MORANGOS - BOLO DE ANIVERSÁRIO DE CENOURA PARA RECHEAR

Diferente do clássico Bolo de Cenoura com cobertura de chocolate de leite, este bolo é muito bom para ser cortado ao meio e recheado com fruta fresca ou em calda, doce de ovos, chantilly, chocolate, brigadeiro ou brigadeiro de baunilha (como no no Bolo Brigadeiro de Baunilha)...

Optei por uma versão naked cake, sem cobertura, polvilhando apenas com açúcar em pó, imitando o clássico Queen Victoria Sponge cake no aspeto e sabores do recheio.

A textura do bolo é densa, permitindo ser facilmente cortado e manipulado, não esfarelando ao corte. Por incluir cenoura, a massa mantém-se húmida alguns dias, pelo que pode ser preparado e decorado com a antecedência desejada.

O recheio é fresco e contrastante, apenas a doçura natural dos morangos com a cremosidade das natas ácidas, sourcream, não adoçadas.

Este bolo pode ser preparado à mão ou ainda mais facilmente num robot de cozinha, de onde a receita foi adaptada, uma vez que depois de raladas as cenouras basta juntar e bater os restantes ingredientes.

Fiz assim...

BOLO DE CENOURA E MORANGOS - BOLO DE ANIVERSÁRIO DE CENOURA PARA RECHEAR


INGREDIENTES
Para o bolo:
250g de cenoura
4 ovos
125ml de óleo
250g de açúcar
250g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Para o recheio:
morangos
natas ácidas - sourcream

Para a decoração:
açúcar em pó

PREPARAÇÃO
Descascar as cenouras e ralar. Reservar.

Numa tigela bater os ovos.
Juntar o óleo e o açúcar e bater.
Acrescentar a cenoura ralada e mexer.
Envolver na mistura a farinha e o fermento.

Verter a massa numa forma untada e com o fundo forrado com papel vegetal.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 40min. ou fazendo o teste do palito.

Deixar repousar 5min. antes de desenformar e retirar o papel.

Versão Bimby:
Ralar a cenoura 15seg/vel 9.
Adicionar os ovos, o óleo, o açúcar e programar 1min/vel 6.
Juntar a farinha, o fermento e envolver 10seg/vel 3.


Na versão de bolo de aniversário dos Minions


Na versão de mini kugelhopf
O centro dos mini kugelhopf foi recheado com nutella e cobertos com uma framboesa

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- No recheio, em vez de natas ácidas, sourcream, poderá ser usado chantilly;
- Para uma versão clássica do Victorian Cake usar no recheio uma camada de chantilly e outra de doce de morango.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

GRELOS DE COUVE COM QUEIJO

Parece uma combinação inusitada, mas não é. Para os amantes de queijo esta é uma combinação a ter em conta. É viciante, para  mim ;)

Há quem os adore e quem os deteste, é como tudo na vida...
Em criança e adolescente, como, provavelmente, acontece com todos, não gostava de grelos de couve ou de nabiça. Primeiro porque eram verdes, e há qualquer coisa que repele comida verde das crianças, depois porque eram amargos.
Com a idade o paladar altera-se e como, muito provavelmente, acontece com quase todos, passamos a gostar de grelos de couve, nabiças, ervilhas, favas...

Grelos de couve ou nabiça, são como os bróculos, acompanham carne ou peixe, mas eu prefiro-os com carnes.
No fim de escolhidos e lavados, cozo-os de uma vez só e depois guardo-os no frigorífico durante alguns dias. Estão, assim, sempre prontos para acompanhar uma refeição, ou, tal eu gosto, como petisco, fora de horas, com um pouco de queijo derretido.

No fim de cozidos, podem ser usados em preparações diversas, tal como onde se usam os espinafres, por exemplo, num bacalhau com grelos, num bacalhau com natas e grelos, simplesmente salteados com alho, num caril... ou numa pizza.

Fiz assim...

GRELOS DE COUVE COM QUEIJO


INGREDIENTES
grelos de couve
queijo para raclette

PREPARAÇÃO
Escolher os grelos de couve aproveitando as extremidades dos caules, os caules finos e macios e as folhas.
Lavar.

Aquecer água numa panela, temperar com sal.
Assim que ferver, juntar os grelos de uma vez só e abater com a colher de pau.
Tapar e deixar ferver uns minutos.
Retirar um grelo e testar a resistência. Não deverão ficar cozidos de mais.
Retirar do lume, escorrer e deixar arrefecer no escorredor.

Num prato colocar a quantidade de grelos desejada, cortar em cima fatias de queijo para raclette.
Levar ao microondas até derreter.
Mexer com um garfo e levar ao microondas mais uns segundos.


Nesta versão, o queijo foi derretido primeiro no prato e depois os grelos foram aquecidos em cima
 e acompanhados com Croutons de azeite, alho e orégãos para uma ceia

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se lhe tiverem dado muitos grelos de couve, ou se os comprou baratos no mercado, não os deixe estragar no frigorífico. Escolha-os, coza-os e no fim de frios divida por caixas ou sacos plásticos e congele em porções para serem utilizadas noutras refeições. É preferível congelar em doses pequenas porque descongelam mais facilmente e poderá ser descongelar mais que uma, se necessário.

domingo, 27 de março de 2016

FOLAR DE PÁSCOA

Mais uma Páscoa e... folares.

Estes foram distribuídos pela família e acabou por não sobrar nenhum.
A receita é a mesma de outros anos, multipliquei por 4x as quantidades originais, tal como aqui.
Fizemos ainda outra fornada durante a semana, fazendo 6x as quantidades originais e inaugurando o forno de lenha do meu irmão, mas o mau controlo da temperatura tornou-os "escuros" de mais... ficarão fotos para a próxima.

A massa destes folares ficou muito macia e saborosa, talvez porque tenham levedado muito mais que o normal. A massa foi feita a meio da manhã e o objetivo era tender os bolos e assar no forno depois do almoço. Por situações imprevistas, não conseguimos tender e assar como planeado e a massa ficou a descansar, na amassadeira, até à noite. Só foram tendidos e assados depois de jantar!
Como o dia não foi quente não se perdeu nada, pelo contrário. Se estivéssemos no verão, em situação semelhante, a massa teria que ser mantida no frigorífico para retardar a fermentação.

Gosto muito de folares doces, salgados também, e não só na Páscoa. Costumo fazer ao longo do ano, para os lanches do fim de semana, principalmente para o lanche ajantarado de domingo. O que sobra, ao longo da semana, ao pequeno-almoço, é torrado em fatias e barrado com manteiga e queijo fresco :)
Fora da Páscoa, normalmente, não incluo os ovos cozidos no topo e outras vezes o bolo é entrançado - Folar entrançado sem ovos.

Estes folares foram divididos em bolas de 650g e ainda deu para os ajudantes tenderem uns mini-folares :)
O esforço "braçal" foi todo dos mais pequenos, como se vê nas fotos. Que bem que sabem, assim, as férias da Páscoa!