segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

EXTRACTO DE BAUNILHA

Este é um extracto alcoólico de baunilha. Pode ser usado em todas as receitas onde o álcool não seja inconveniente. Combina muito bem com massa que vão ao forno, pois o álcool evapora. Em cremes e doces que apenas vão ao frigorífico deve-se ter atenção ao componente alcoólico, se não for o desejado deve-se usar o extracto industrializado.

Com as baunilhas que comprei, para além do açúcar baunilhado, preparei também este extracto de baunilha. De início já apresenta uma cor dourada palha, mas com o tempo a infusão escurecerá adquirindo um dourado escuro a castanho claro.


O princípio é simples, é uma infusão de vagens de baunilha em álccol. O aroma e sabor passam por difusão do interior da aromática vagem para o meio alcoólico. É a preparação de um licor, neste caso de abunilha. No fim não lhe acrescento açúcar nem nenhuma calda, mas se o fizesse seria um autêntico licor. Irei preparar um semelhante mas com o destino de licor.

Pode ser usado qualquer bedida alcoólica: aguardente, brandy, whisky, absinto, vodka, ou mesmo álcool etílico (desde que não possua nenhuma substância dissolvida como a cetrimidina). É de privilegiar uma bebida que tenha sabor neutro e que não tenha álcool excessivo, para não desvirtuar o prato com que é aromatizado. Escolhi vodka.

Fiz assim...

EXTRACTO (ALCOÓLICO) DE BAUNILHA

Extracto de Baunilha com 4 dias de infusão

Extracto de Baunilha com 25 dias de infusão


Extracto de Baunilha com 3 meses de infusão


Extracto de Baunilha com 1 ano de infusão

INGREDIENTES
500ml de vodka
4 vagens de baunilha

PREPARAÇÃO
Colocar dentro de um frasco alto, estreito e esterilizado o vodka e as vagens de baunilha. Rolhar e deixar em infusão.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Usei a própria garrafa do vodka de 500ml (comprei no Lidl);
- Guardar em local escuro (armário ou despensa) até adquirir uma cor escura;
- Quando se tiver gasto meia garrafa, perfazer com vodka.

domingo, 28 de Setembro de 2008

AÇÚCAR BAUNILHADO

A baunilha e eu, eu e a baunilha. Sempre gostei de baunilha, do aroma da baunilha.
As vagens de baunilha sempre foram uma perdição (em todos os sentidos, até no preço).

Desta vez consegui arranjar por cinco euros, 20 vagens de baunilhas de tamanho apreciável. Com 2 delas fiz este açúcar baunilhado, com outras, essência e licor já têm destino.

Uso baunilha nos bolos, doces, recheios, cremes... O açúcar baunilhado é uma opção à essência. Mais suave, mas por ser natural, mais rico em aroma.
Um simples frasco hermético e umas vagens são a solução (o urso do açúcar é opção, mantenho-o fechado para que não fuja, lol, é para manter seco o açúcar).

Indico 2 versões, opto pela segunda.

Fiz assim...

AÇÚCAR BAUNILHADO


INGREDIENTES
1kg de açúcar granulado
2 vagens de baunilha

PREPARAÇÃO
Colocar as vagens no frasco e cobrir com o açúcar. De vez em quando agitar o frasco para aromatizar todo o açúcar.

ou

Abrir ao meio (sentido longitudinal) uma das vagens de baunilha. Raspar as semente e colocar no almofariz com um pouco de açúcar. Moer. Colocar no frasco em conjunto com a vagem aberta e a fechada, bem como o resto do açúcar.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- É importante que as sementes sejam moídas com um pouco de açúcar para que elas sequem e se separem, pois no interior da vagem elas estão um pouco húmidas e se forem colocadas logo no açúcar agregam em grânulos.

sábado, 27 de Setembro de 2008

BROWNIE COM PEPITAS DE MANTEIGA DE AMENDOIM - HERSHEY'S PEANUT BUTTER BROWNIE

Esta é uma sugestão simplesmente espectacular.

Tudo começou há tempo quando a Manuela do Delícias e Companhia sugeria num pudim a inclusão de um bolo de chocolate "de caixinha" instantâneo. Referia que a marca que usa, Duncan Hines (desta marca eu tenho uma tarteira), não tem nada a ver com as massas das marcas portuguesas. Eu nunca comprei estas misturas já feitas, mas atrevi-me a experimentar esta da Betty Crocker e...
Rendi-me! Só é pena que não se encontre à venda por aqui. Pode ser encontrada em lojas com produtos importados americanos. Daquilo que pesquisei estas duas marcas são rivais e em tudo semelhantes, são das melhores.

Quem encontrar esta mistura, e provavelmente outras da marca, não compre, apenas uma embalagem, compre várias. Rápido, basta juntar ovo e óleo e forno.


De comer e chorar (literalmente) por mais. Para os chocolatras e dependentes de manteiga de amendoim (como eu) esta é a sugestão perfeita. Quem já conhecia, bem, é pena não ter dito antes, lol.
Este brownie não fica nada atrás, pelo contrário, aos caseiros.

Esta mistura inclui as famosas pepitas de manteiga de amendoim Reese's da Hershey's.

sexta-feira, 26 de Setembro de 2008

BURRITO

O nome Burrito pode ter origem na forma enrolada da tortilla, por ser semelhante à da orelha de um burro(ito).
O recheio varia de região para região. Com carne apenas (e não é de burro), ou com feijões, alface, tomate, milho, pimento, arroz...

Usei no recheio o Chili anterior, acrescentando apenas alguns ingredientes crus e frescos (não usei alface pois tinha acabado). Podem-se usar tortillas de compra, têm grande duração e não ocupam nada na despensa (não sei se estão a perceber) ou uma versão caseira assada na frigideira, que colocarei depois.

Uma refeição ligeira que se pode completar e óptima para acompanhar com amigos.

Fiz assim...

BURRITO


INGREDIENTES
chili
tomate em cubos
pimento verde/vermelho em cubos pequenos
milho doce
alface lavada, bem seca e cortada em juliana grossatortillas

PREPARAÇÃO
Aquecer o chili, desligar e juntar todos os restantes ingredientes apenas para envolver.

Passar as tortillas por água, na torneira, escorrer, colocar num prato e aquecer no microondas 15s (depende da potência do microondas).

Colocar o recheio numa banda preenchendo 3/4 do diâmetro da tortilla, por cima de uma cama de alface. Dobrar cada um dos lados para o meio e depois a base para o meio.

Servir de seguida ainda quente.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Pode-se servir como entrada, guacamole e pequenas tortillas de milho para dipar acompanhando com uma margarita;
- Beber sumo de tomate à refeição.

quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

CHILI

Vários foram as evidências ou coincidências que me levaram a fazer este prato. Tudo começou pela vontade de usar mais feijão nas refeições. O manteiga ou vermelho no puré da sopa ou o frade à acompanhar um bacalhau cozido, são as quase únicas formas de o servir, aqui em casa, acho que tarte de feijão branco não conta. Não sou fã de feijoadas (mas gosto da de choco).

Vi a sugestão de Chili na Mesa para 4, chamou-me a atenção ler que lá em casa os mais pequenos gostavam muito, pensei que não lhes iria agradar. No dia a seguir, ao folhear um livro de cozinha mundial, vi a sugestão chili; ao arrumar o armário das especiarias, caiu-me uma mistura para fajita nas mãos; na despensa tinha um frasco de feijão vermelho a olhar para mim e nas compras da semana passada comprei carne de vaca picada. Todos os astros estavam reunidos para a elaboração de um CHILI!

Acompanhei, como sugerido, com arroz manteiga e tortillas de milho mexicanas, para dipar no chili.

Sem dúvida que o Rê gostou, é rápido de preparar, bem saboroso e a leguminosa estão lá - missão cumprida.

Fiz assim...

CHILI


INGREDIENTES
1 fio de azeite + óleo
2 cebolas médias
4 dentes de alho
1 folha de louro
1 malagueta
500g de carne de vaca picada
2 tomates maduros
1/2 pimento cortado em pedaços pequenos
1 chili fresco - Não usar de for servido a crianças
1 colher (sopa) de concentrado de tomate
1dl de vinho branco
1dl de água quente
400g de feijão vermelho cozido (1 frasco)
1 colher (chá) de mistura de especiarias para fajita
1 pitada de sementes de alcaravia moídas
1 pitada de sementes de funcho grego moídas
1 pitada de cominhos moídos

PREPARAÇÃO
Aquecer um tacho largo o azeite e adicionar a cebola picada e os alhos, deixar alourar um pouco, juntar a folha de louro e a malagueta inteira.
Juntar a carne e deixar fritar mexendo sempre. Adicionar o tomate picado, o pimento cortado e o concentrado de tomate e mexer. Juntar o vinho e a água (pode ser da cozedura do feijão ou do frasco). Deixar ferver um pouco.
Acrescentar o feijão cozido e temperar. Deixar ferver destapado até o feijão estar no ponto.

Acompanhar com arroz branco com manteiga e tortillas de milho.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se usar a mistura se especiarias para fajita, como esta já tem sal, provar antes se acrescentar mais sal;
- Considero pitada, a ponta de uma faca bicuda;
- Quando se acrescenta o feijão pode ser acrescetando também 400g de milho doce congelado.

quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

BEIJINHOS DE COCO

Coco e leite condensado, outra dupla de sucesso. E como o ditado diz: "Na equipa que ganha não se mexe". Passa-se o mesmo com o Pudim de Coco.

Para festas de aniversário, ou simplesmente para um mimo com o café no final da refeição.

Indico 2 receitas: a tradicional, semelhante à dos Brigadeiros, e a de crianças (não vai ao lume), para que elas também possam contribuir com algo (pelo menos vontade, mas de certeza motivação) para a sua festa.

A receita tradicional fica mais suave, porque o interior tem pouco coco ralado. A receita infantil fica mais consistente. Nenhuma das suas sobra em nenhum aniversário.

Fiz assim...

BEIJINHOS DE COCO


INGREDIENTES
Receita tradicional:
1 lata de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de coco ralado

coco ralado q.b. (para cobrir)
manteiga q.b. (para ajudar a enrolar)
amêndoas peladas e torradas q.b. (para enfeitar)

Receita infantil:
1 lata de leite condensado
200g de coco ralado

coco ralado q.b. (para cobrir)
manteiga q.b. (para ajudar a enrolar)
amêndoas peladas e torradas q.b. (para enfeitar)

PREPARAÇÃO
Receita tradicional:
Levar numa caçarola o leite condensado e a manteiga a lume brando, mexendo sempre até ganhar ponto de estrada. Desligar o lume, acrescentar o coco, mexer para envolver e colocar esta massa num prato raso untado para arrefecer.

Receita infantil:
Numa tigela colocar o leite condensado e acrescentar o coco. Amassar bem.

Ambas as receitas:
Com a palma das mãos untadas com manteiga, moldar bolinhas pequenas que se passam pelo coco ralado e se arrumam em caixinhas de papel plissado.
Enfeitam-se com uma amêndoa.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Na receita infantil pode ser preciso um pouco mais de coco ralado para absorver a humidade do leite condensado, pois nem todo o coco ralado tem a mesma granulometria nem capacidade de absorver líquidos:
- Podem ser enfeitados com uma amêndoa torrada, foi o caso, ou com um cajú, amendoim ou um cravo-da-índia inteiro, que é o clássico;
- Podem ser congelados em caixa fechada, deixando depois descongelar, na mesma caixa fechada, 1-2h antes de servir.

terça-feira, 23 de Setembro de 2008

PEIXE COM CEBOLADA BALSÂMICA

Os lombos de peixe já limpos, embora um pouco mais caros, ajudam muito no tempo que temos para cozinhar.

Escolhi o lombo de palmeta, peixe bem branco.

Foi preparado de forma simples e muito rápida, de maneira a podermos saborear o peixe tal como ele é. Em 20min. está o jantar preparado e na mesa.

Fiz assim...

PEIXE COM CEBOLADA BALSÂMICA


INGREDIENTES
1 lombo de palmeta
1 fio de azeite
sal
pimenta
2 cebolas em rodelas
vinagre balsâmico de Modena


PREPARAÇÃO
Aquecer bem uma frigideira de fundo grosso, colocar o fio de azeite e o peixe cortado em pequenos lombos. Temperar o peixe com sal e pimenta. Deixar cozinhar e virar do outro lado. Não virar mais para não o partir muito.
Colocar o peixe numa travessa e tapar.
Na mesma frigideira colocar a cebola e deixar cozinhar no suco do peixe, em lume brando, alguns minutos. Cozinhar tapado para que o vapor ajude a cozer. Acrescentar o vinagre, abanar a frigideira, mexer e colocar por cima do peixe.

Acompanhar com batatas assadas ou cozidas no microondas.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se houver tempo extra, pode-se temperar com o sal e pimenta o peixe, deixando marinar um pouco;
- Se quando se retirar o peixe da frigideira não sobrar suco, então antes de colocar a cebola adiciona-se um fio de azeite e uma colher de água.

segunda-feira, 22 de Setembro de 2008

PÃO DE 4 TRIGOS

De aspecto e textura integral, mas não é um verdadeiro pão integral. Os trigos usados conferem-lhe essa textura. Irá ser apreciado por quem gosta de pães integrais.
O trigo sarraceno dá-lhe um sabor "agrícola".

Usei o trigo comum (Triticum aestivum), espelta (T. spelta), kamut (T. tugidum polonicum) e sarraceno (Fagopyrum esculentum).

Sempre que se usam farinhas de natureza muito diferentes, convém estar atento ao amassar e poder acrescentar 1-2 colheres de farinha de trigo ou de água para dar o ponto à massa.

Fiz assim...

PÃO DE 4 TRIGOS


INGREDIENTES
4dl de água morna
2 colheres (chá) de fermento biológico seco / 20g de fermento biológico fresco
2 colheres (sopa) de banha de porco
150g de farinha de trigo comum T65
150g de farinha de trigo espelta
150g de farinha de trigo kamut
150g de farinha de trigo sarraceno
2 colher (sopa) de glúten de trigo
1 colher (chá) de sal
água (para a cobertura)
farelo de trigo (para a cobertura)


PREPARAÇÃO
Colocar os ingredientes pela ordem indicada em cima. Seleccionar o programa "Massa" e no final retirar a massa, moldar, pincelar com água, polvilhar com o farelo, deixar levedar tapado com um pano mais 30-45min. e assar no forno a 170ºC, ou usar o ciclo "Sandes" ou "Normal" até terminar.
Desenformar e deixar arrefecer numa grelha antes de fatiar.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Os trigos que não o comum possuem menos glúten, pelo que se não acrescentar o glúten, a massa deve amassar um pouco mais que o normal. Pode seleccionar o ciclo "Massa" e no final seleccionar o ciclo "Sandes" ou "Normal" para amassar novamente e cozer;
- Para tornar este pão, num pão integral pode-se substituir 2-3 colheres (sopa) das outras farinhas por equivalente em farelo de trigo.

domingo, 21 de Setembro de 2008

EMPADAS COM MASSA DE BÔLA

Empadas feitas com a massa da Bôla de Fiambre e Salpicão, usei apenas metade da receita da massa da bôla.
O recheio é de carne. Lombo assado na panela de pressão que foi posteriormente picado e temperado com orégãos e queijo ralado. Este lombo assado, como era grande, já tinha sido vestido com uma nova roupagem no Lombo de porco com queijo e paio e a outra parte deu estas empadas.

Muito fáceis de fazer. Geralmente o trabalhoso nas empadas é o esticar a massa e principalmente forrar as forminhas. Com esta massa não é preciso esticar, uma vez que é meio líquida.


Pode-se usar o recheio que se quiser. Se não há sobras para incluir nas empadas sugiro que se faça o recheio da Tarte de Frango, que é delicioso.
A inclusão de um pouco de queijo ralado é funcional uma vez que serve para eliminar os queijos secos que temos em casa. Mas cuidado com os queijos de sabor muito activo, podem arruinar qualquer prato.

Fiz assim...

EMPADAS COM MASSA DE BÔLA

INGREDIENTES
Para a massa:
300g de farinha
2dl de leite morno
20g de fermento padeiro fresco
3 ovos
30g de manteiga derretida
pitada de sal

Para o recheio:
carne picada
orégãos
queijo ralado
azeitonas pretas descaroçadas


PREPARAÇÃO
Numa tigela colocar a farinha, abrir uma cova ao meio e colocar o leite morno onde já foi dissolvido o fermento. Misturar o leite com um pouco da farinha envolvente. Juntar os ovos e amassar. Por fim acrescentar a manteiga e a pitada de sal.
Deixar repousar 1 1/2h na tigela tapada com plástico aderente (no inverno colocar em volta uma manta).

Esta massa pode ser feita na MFP.

No fim de levedar, mexer a massa rapidamente com uma colher de pau (a massa fica mole) e colocar o equivalente a 1 colher de sopa, em formas de muffins untadas. Colocar o recheio no centro carregando-o para baixo com uma azeitona (esqueci) e cobrir com mais um pouco de massa.
Levar ao forno a 180ºC até ficarem douradas.

Para o recheio, envolver a carne picada com o queijo e temperar com os orégãos.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Podem ser feitas com o recheio que se quiser: atum, fiambre picado, bacon, chouriço...
- Este recheio pode ser simples ou incluído num refogado com cebola picada.

sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

LOMBO DE PORCO COM QUEIJO E PAIO

O tempo é sempre curto e muitas vezes temos muitas coisas para fazer ao mesmo tempo. Assar lombo de porco na panela de pressão demora 30-45min., mas não requer a nossa atenção, por isso é tempo que ganhamos para outras coisas.

Assei um pedaço de lombo de porco na panela de pressão. Aqueci um pouco de azeite na panela, e passe o lombo, virando-o, para dourar de todos os lados.
Depois temperei-o com a Massa de Tempero e acrescentei vinho tinto e um pouco de água quente. Tapei e 30min. na pressão rápida já havia lombo assado. Nesse dia acompanhámos o lombo com batatas assadas no microondas.

Para não comermos em dias seguidos o mesmo lombo, costumo congelar já fatiado, mas desta vez optei por vesti-lo com outra roupa.

A peça de lombo deu para 3 arranjos culinários, o do dia, com batatas assadas, este com queijo e paio e Empadas com massa de bôla.

Fiz assim...

LOMBO DE PORCO COM QUEIJO E PAIO


INGREDIENTES
lombo (de porco) assado e fatiado
leite q.b.
pitada de sal
pitada de pimenta
2 colheres (sopa) de farinha
fatias de queijo cheddar (1 por cada fatia de lombo)
fatias de paio (1 por cada fatia de lombo)


PREPARAÇÃO
Colocar num tacho ou caçarola as fatias de lombo e cobri-las com o leite. Temperar de sal e pimenta. Levar a ferver e cozer durante 15min.. Retirar a carne e escorrer.
Juntar ao molho a farinha e bater com a varinha mágica. Deixar ferver para engrossar.

Num pirex colocar uma fatia de lombo e por cima uma de paio e de queijo, fazer isso a todas, dispondo-as ao longo do pirex.

Colocar o molho em volta e levar ao microondas para derreter o queijo.

Servir com puré de batata.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Ao leite pode-se juntar 1 colher do molho do lombo, se foi guardado;
- Usar queijo fatiado de qualquer variedade, usei cheddar para atrair a atenção dos mais novos.

quinta-feira, 18 de Setembro de 2008

MARACUJÁ EXPRESS

Mais rápido que esta sobremesa só mesmo Romeu e Julieta (queijo com goiabada).
Foi feita entre o levantar dos pratos da mesa, ou seja em 3-4min., não mais.

Esta sugestão foi inspirada no Pavê de Maracujá com Chocolate que terei de repetir em breve, pois salivo sempre que me lembro dele. Usei os ingredientes que tinha à mão, não para querer imitar o Pavê, mas apenas tentar saciar a vontade de o comer novamente.

Pode ser ampliada juntando natas batidas ao creme de mascarpone. Para os de casa e para uma refeição só, esta quantidade foi a indicada.

Fiz assim...

MARACUJÁ EXPRESS


INGREDIENTES
250g de queijo mascarpone
4 colheres (sopa) de leite condensado
3 maracujás
6 bolachas short cake (triunfo)

1 maracujá para decoração

PREPARAÇÃO
Misturar bem o queijo com o leite condensado, acrescentar a polpa dos maracujás e envolver bem. Triturar no almofariz as bolachas e dispô-las no fundo de tacinhas. Cobrir com o creme de queijo e enfeitar com um pouco de polpa de maracujá.

Se houver tempo, colocar no frigorífico até servir.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para um visual mais atraente usar bolachas short cake de chocolate ou oreos trituradas.

quarta-feira, 17 de Setembro de 2008

TARTE DE PÊRAS COM CREME

Tarte de maçã é bom mas Tarte de pêra... é ainda melhor. E se for recheada com creme, neste caso custard, é ainda bem melhor. As pêras combinam muito bem com o aroma da baunilha, tal como a maçã com a canela.

Pode ser acompanhada com uma bola de gelado de baunilha, ou simples.

A massa é a mesma da Tarte de Maçã da Vóvó Donalda (Apple Pie), o recheio é diferente.

Usei um corta-topo de tartes para a decorar, mas pode ser usado um corta-biscoitos ou uma chaminé ao centro, de modo a deixar escapar vapor e a tarteira Emile Henry de 26cm.

Fiz assim...

TARTE DE PÊRAS COM CREME


INGREDIENTES
Para a massa:
200g de farinha
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (café) de sal
150g de manteiga fria cortada em pequenos cubos
1-2 colheres (sopa) de água fria


Para o creme:
500ml de leite
2,5 colheres (sopa) de farinha custard
3 colheres (sopa) de açúcar
1 casca de limão
1 pau de canela

Para o recheio:
8 pêras descascadas e fatiadas
leite para pincelar a tarte


PREPARAÇÃO
Misturar a farinha com o açúcar e sal. Acrescentar a manteiga aos cubos e com o misturador de massas areadas, vai-se misturando a manteiga com a farinha. Deverá ficar como areia solta. Acrescenta-se a água aos poucos, e mistura-se com uma colher de pau, até formar uma bola que não pegue. Reserva-se no frigorífico.

Para fazer o creme, numa caçarola dissolver a farinha custard no leite, juntar o açúcar, a casca de limão, o pau de canela e a manteiga. Levar ao lume mexendo sempre até engrossar ligeiramente (não deixar atingir o ponto de estrada forte). Retirar o pau de canela e a casca de limão e deixar arrefecer ligeiramente antes de rechear.

Dividir a massa em 2 porções, esticar a 1.ª porção e forrar a tarteira (26cm). Colocar o creme e as pêras fatiadas.

Esticar a 2.ª porção da massa, decorar o topo com um corta massas ou corta topos de tartes e colocar em cima da tarteira. Com os dedos fechar as duas porções de massa. Pincelar com leite e levar ao forno a 180ºC (pré-aquecido) até que fique dourada.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se as bordas da tarte ficarem douradas antes do resto, cobri-las com papel de alumínio dobrado;
- É boa comida morna, mas fria torna-se mais consistente e fácil de cortar.

segunda-feira, 15 de Setembro de 2008

LATTE MACCHIATO

Não é um simples leite com café. O próprio nome assim o diz, leite manchado (com café), mas não misturado. É cremoso, suave e com ar de engatatão, lol, ou não fosse servido num copo alto, não muito largo e dependente das leis da física para o manter em camadas.

Ao pequeno-almoço não há tempo de desfrutar desta cremosidade, por isso, guarde-o para um pequeno-almoço mais tardio, ou um lanche. Quem sabe, no final da noite (pode usar-se descafeinado), entre amigos.

Para tornar este latte macchiato ainda mais apetecível (para alguns, se não gostar de leite ou café adocicado, não acrescente) acrescentei uma pequena colher de leite condensado, não fazendo parte do elegante café manchado original.

Depois é só ter o cuidado de limpar o lábio superior que irá ficar com espuma, como no cappuccino.

Fiz assim...

LATTE MACCHIATO


INGREDIENTES
1 café expresso bom (uso Risttreto ou Arpeggio)
1 copo de leite meio-gordo + 2 colheres (sopa)
1 colher (chá) de leite condensado

PREPARAÇÃO
Encher o copo a 2/3 com leite. Levar ao microondas para aquecer bem.
Juntar o leite condensado de uma vez só, para ele migrar para a base.
Juntar o expresso, de preferência deixar correr logo para o copo, com cuidado para não haver mistura.
Com o mixer, bater o leite, 1min., até ficar em espuma densa. Verter um pouco sobre o café.

Servir de imediato.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se for usado leite magro, fazer sempre a espuma com leite meio-gordo ou gordo;
- Se não conseguir que o café não se misture com leite, porque a pressão da máquina expresso é grande, coloque por cima do leite um pouco de espuma, para suportar o café;
- Para fazer a espuma típica dos cappuccinos usar a bomba de ar da máquina de café ou mais simplesmente um pequeno mixer a pilhas;
- Pode ser decorado com canela ou cacau em pó, usando ou não um stencil.

domingo, 14 de Setembro de 2008

PÃO BRANCO CASEIRO

Pão de côdea crocante e miolo macio e poroso.

Neste pão usei 300g de massa de pão que guardei, fechada, no frigorífico por 2 dias. Este procedimento chama-se de "Massa velha", pois não é mais do que parte da massa de pão que se reserva para a próxima "fornada". Durante o tempo de repouso da massa as leveduras e as bactérias multiplicaram-se, aumentando assim a quantidade de fermento nessa massa.

Agora é só usar esta massa numa nova mistura não acrescentando mais fermento.

Para além de ficar com um sabor melhorado, fica sem dúvida, mais barato, só precisamos de usar fermento a primeira vez (é como fazer iogurtes, só precisamos do 1.º de compra).

Fiz assim...

PÃO BRANCO CASEIRO


INGREDIENTES
300g de massa velha de pão
200ml de água morna
300g de farinha de trigo T65
1 colher (chá) de sal fino


PREPARAÇÃO
Colocar todos os ingredientes na forma da MFP. Seleccionar o programa "Normal" e desligar a MFP 15min. antes de acabar o ciclo, se já estiver dourado.
Desenfomar e deixar arrefecer numa grelha.

(Fatia de pão branco caseiro com o doce de tomate que o Rê e restantes colegas fizeram na escolinha)

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se não tem massa velha, pode fazer 300g de massa de pão no dia anterior para inciar o processo. Depois nesta receita, só tem que duplicar a quantidade de ingredientes novos e no final da massa levedada, retirar a quantidade equivalente à massa velha acrescentada incialmente (300g);
- Terminando o ciclo antes do tempo faz com que a côdea não fique muito seca e escura.

sábado, 13 de Setembro de 2008

MFP - DICAS 7 - ELABORAÇÃO DA MASSA DE PÃO

Se pensarmos que num pão que fazemos em casa colocamos 1 a 2 colheres (chá) de fermento seco, o que equivale a 15-20g do fermento biológico fresco, imaginem a quantidade que uma padaria deve gastar. Pois é, eles não gastam nem metade dessa nossa quantidade prevista. Usam - e usam muito bem - a capacidade de reprodução das leveduras e bactérias contidas no fermento biológico, acrescentando pouco fermento fresco (novo) de cada vez.

Genericamente podem ser tomados 4 formas de elaboração da massa de pão:

1- Normal. Misturando todos os ingredientes para a massa de pão, incluindo o fermento. Esta massa irá levedar e o procedimento é o normal.

2- Esponja. Faz-se uma pré-mistura com parte dos ingredientes da massa final. Água, farinha, fermento e açúcar (se estiver incluído nos ingredientes do pão). Esta pequena quantidade de massa irá fermentar durante 30min.-1h e depois será acrescentada dos restantes ingredientes/quantidades.

3- Massa velha. Retira-se uma pequena bola de massa pronta e guarda-se envolvida em papel vegetal e alumínio, ou película aderente ou mesmo caixa plástica, no frigorífico. Irá ser incluída 1-2 dias mais tarde noutra massa de pão. Aquando da elaboração da nova massa retira-se no final uma porção equivalente à massa velha e guarda-se para a próxima panificação.

4- Isco ou Massa azeda. Prepara-se de propósito uma pequena quantidade de massa, um pouco mais líquida que a de pão, fermenta em frasco aberto e mantém-se num frasco hermético de boca larga, no frigorífico. Antes de retirar uma parte deste isto para ser incluído numa nova massa, mexe-se para envolver e acrescenta-se mais farinha e água para alimentar o isco.

No método da esponja, tenta-se acelerar o processo de fermentação, pois em pouca massa, existe uma grande quantidade de fermento. Tenta-se criar um ambiente muito favorável à fermentação, pelo que a água usada é muitas vezes morna e coloca-se 1-2 colheres (sopa) de açúcar. No entanto, na maior parte dos casos, pouco tempo depois acrescenta-se o resto da massa, pelo que a fermentação é um pouco maior que a tradicional, mas não muito.
Nalguns pães esta esponja fermenta 2h - poolish (para pão francês) e 36h - biga (para pão italiano).

No caso da massa velha e do isco, a fermentação da massa é mais prolongada, pelo que ganhará um sabor mais intenso e característico. Irão acumular-se os produtos da fermentação que para além de gases são também ácidos, como o láctico ou o butírico.
Na prática, o fermento multiplicado, no final de muitas massas tende a ficar menos eficaz, por isso nas padarias se acrescenta uma pequena porção de fermento novo à massa. Em casa, para um pão, podemos usar o processo da massa velha, durante muitos pães sem essa necessidade.

Tem vantagens, na MFP, pois não se usa o açúcar típico para acelerar o processo de fermentação.
A massa velha pode permanecer no frigorífico 2 dias (embrulhada em papel vegetal e por fora com papel de alumínio, deixando algum espaço para expansão), se for para guardar mais tempo pode-se congelar. Para usar, descongelar no dia anterior, no frigorífico e mantê-la à temperatura ambiente 2h.
Para preparar de propósito a massa velha, pode usar: 1/2 colher (chá) de fermento biológico seco, 4 colheres (sopa) de água e 100g de farinha. Dissolver o fermento na água, juntar a farinha, formar uma bola de massa e amassar bem, na pedra enfarinhada, durante 10min.. Deixar levedar à temperatura ambiente no mínimo 3h. Se quisermos usar logo esta massa, basta dividir a meio e incluir uma parte na nova massa, guardando a restante no frigorífico. Se não for usada nenhuma guarda-se a totalidade no frigorífico para mais tarde.

No caso do isco, este fica a fermentar num frasco largo, apenas tapado com um pano, durante 48h-5dias, sendo usado de imediato ou refrigerado no frigorífico até 2 semanas. Sempre que se usa parte do isco e se alimenta com quantidade equivalente de farinha e água, este deve fermentar novamente apenas tapado com um pano durante 12-24h.

Nas padarias, ao utilizarem-se estes métodos, o pão produzido terá um sabor próprio e que não se consegue imitar. Chamar-se-á a este pão, e com toda a razão de o ser - Pão da casa, ou Pão caseiro. É como se cada padaria houvesse um aviário, neste caso não de aves, nem sequer animais, mas sim de leveduras (fungos) e bactérias. Cada uma produz o seu próprio fermento.
Poupa-se fermento e ganha-se sabor, tempo e clientela.

Ver também as outras Dicas de MFP.

sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

BOLO DE CHOCOLATE - THE BEST CHOCOLATE SHEET CAKE. EVER

Foi para o aniversário do Rê que resolvi fazer este bolo. Um bolo de chocolate com recheio de creme custard e cobertura de chantily.

A receita do bolo de chocolate vi no blog Receitas da Filipa que retirou da Pioneer Woman - The Best Chocolate Sheet Cake. Ever.
Não fiz a calda e cobertura sugerida que ficará para uma próxima. É um bolo de chocolate muito bom, não é seco, fica óptimo recheado e com a calda sugerida ou mesmo sem ela.

Quando faço o bolo numa forma redonda uso 1 receita, para o fazer num tabuleiro maior, como é o da foto, faço 1 e ½ receita bem como do creme custard (se sobrar põe-se numa pequena taça e come-se às escondidas, lol).

Fiz assim...

BOLO DE CHOCOLATE - THE BEST CHOCOLATE SHEET CAKE. EVER



INGREDIENTES
Para o bolo:
2 chávenas / 280g de farinha de trigo
2 chávenas / 400g de açúcar
1/4 de colher (chá) de sal fino
1 chávena / 200g de manteiga sem sal
4 colheres (sopa) de cacau
1 chávena / 250ml de água a ferver
1/2 chávena / 125ml de leite coalhado (buttermilk)
2 ovos batidos 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 colher (chá) de extracto de baunilha

Para o creme custard:
500ml de leite frio
2,5 colheres (sopa) de farinha custard
3 colheres (sopa) de açúcar
1 casca de limão
1 pau de canela
50g de manteiga

Para o chantily:
Natas para bater
Açúcar q.b.


PREPARAÇÃO
Numa tigela combinar a farinha, o açúcar e o sal. Reservar.
Numa caçarola derreter a manteiga, juntar o cacau e a água a ferver. Deixar ferver 30s e tirar do lume.
Adicionar esta mistura à da farinha. Mexer e deixar arrefecer.
Num copo medidor colocar o leite coalhado (ver notas), os ovos, a baunilha e o bicarbonato de sódio.
Adicionar esta mistura à anterior.

Verter a massa num tabuleiro não untado e levar ao forno 20min. a 180.ºC.
Desenformar e deixar arrefecer.
Cortar o bolo ao meio no sentido longitudinal e rechear com o creme custard.

Para fazer o creme, numa caçarola dissolver a farinha custard no leite, juntar o açúcar, a casca de limão, o pau de canela e a manteiga. Levar ao lume mexendo sempre até engrossar (ponto de estrada ou um pouco menos).
Retirar o pau de canela e a casca de limão e deixar arrefecer ligeiramente antes de rechear.
Rechear o bolo e cobrir com o restante bolo.
Bater as natas em chantily, cobrir o bolo e decorar como desejado.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Não é comum encontrar-se leite coalhado - buttermilk, no supermercado, por isso mede-se ligeiramente menos a quantidade em leite e acrescenta-se vinagre ou sumo de limão para perfazer o volume. Espera-se alguns segundos e usa-se assim. Ver Dicas - Substituições;
- O bolo pode ser feito e recheado no dia anterior, ficando no frigorífico. No dia seguinte é só cobrir com o chantily.

quarta-feira, 10 de Setembro de 2008

POLVO DOS POBRES

Não resisti à piada. A TL enviou-me um mail com esta imagem muito engraçada.

Não aconselho a fazerem arroz de polvo com este cefalópode, lol, mas fica aqui a sugestão para uma bonita apresentação de salsichas, para um centro de prato com aperitivos em volta. Os olhos do polvo podem ser enriquecidos com uma massinha.

segunda-feira, 8 de Setembro de 2008

DOCINHOS DE CORN FLAKES

São sucesso nas festas de aniversário, tanto pelos mais pequenos como pelos graúdos.
Simples e muito saborosos, ou não fossem feitos com leite condensado. Os flocos tornam-se estaladiços.

Fazem-se no dia anterior, fecham-se numa caixa plástica, e no dia é só dispor em forminhas de papel e servir.

Podem ser servidos entremeados com outros docinhos, como fiz com as Pequenas bolas de noz e amêndoas.

Fiz assim...

DOCINHOS DE CORN FLAKES



INGREDIENTES
200g de flocos Corn Flakes
1 lata de leite condensado
2 colheres (sopa) de manteiga

PREPARAÇÃO
Numa caçarola média leva-se o leite condensado e a manteiga ao lume brando, mexendo até ganhar estrada.
Retira-se do lume e juntam-se, de uma vez só, os flocos.
Mexe-se para envolver sem partir os flocos.

Deixa-se arrefecer 20min. num prato.

Retiram-se pequenas porções de flocos e com as mãos untadas fazem-se pequenos montinhos.
Colocam-se num tabuleiro untado ou forrado com papel vegetal ou tapete de silicone.

Leva-se ao forno quente (180ºC) apenas até ficarem com as pontas douradas, cerca de 7-8min., convém vigiar para não passar do ponto.

Retiram-se do forno e logo de seguida, ainda bem quentes, 1 a 1 e comprimem-se os docinhos em cima da bancada de forma a ajeita-los, pois abrem um pouco no forno. Este procedimento tem de ser rápido para que ainda possam colar.

Deixam-se arrefecer bem antes de os guardar.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se ao levar ao lume o leite condensado com a manteiga, este agarrar um pouco no fundo e caramelizar, não desespere, baixe o lume e continue até ao pouco de estrada. Estes pequenos
- A dificuldade da elaboração destes docinhos está no fazer os montinhos. Quentes não se conseguem montar pois o leite condensado não dá aderência, à medida que os flocos arrefecem o leite condensado adere. É preferível fazer poucos de cada vez e ir lavando as mãos que vão ficando pegajosas. Logo que se retiram do forno devem ser apertados.

sábado, 6 de Setembro de 2008

MINI SALADA CAPRESE - INSALATA CAPRESE

As cores são italianas: vermelho, branco e verde, mas o sabor esse é transcontinental.

Feita com ingredientes que hoje associamos a Itália, a salada caprese, da Ilha de Capri (sul da baía de Nápoles) é hoje um ícone. Digo hoje associamos a Itália, porque o manjericão é indiano e os tomates peruanos ou mexicanos, o azeite mediterrânico e a mozzarella, essa, é italiana.

Ingredientes básicos para um sucesso garantido.

Esta salada é usada como entrada de uma refeição. Normalmente uso as bolas de mozzarella fresca, de búfala ou não, cortada em fatias, disposta entremeada com rodelas de tomate cacho maduro (é muito aromático). Nesta sugestão de amuse-bouche, o sabor é semelhante mas numa versão mini.

Optei por picar as folhas de manjericão em vez de as moer obtendo um pesto rápido, que resulta também muito bem.


Fiz assim...

INGREDIENTES
tomates mini-chucha ou cereja (cherry)
queijo mozzarella fresco em bolas pequenas
folhas de manjericão
azeite
sal fino
pimenta preta moída na hora

PREPARAÇÃO
Numa tigela colocar os tomates lavados e escorridos, temperar com o azeite, manjericão picado, sal e pimenta, envolver e deixar descansar uns minutos. Adicionar o queijo escorrido, envolver bem.
Servir.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Pode-se preparar os amuse-bouche com alguma antecendência, não misturando o queijo, e guardando os tomates temperados no frigorífico algumas horas. Um pouco antes de servir envolve-se o queijo.

quinta-feira, 4 de Setembro de 2008

SALMÃO MARINADO COM BACON CROCANTE

A cor, o sabor, o aroma... o salmão tem tudo isto, e de forma muito agradável. Pela cor, conseguimos atrair os mais pequenos para o consumo de peixe, e não fosse a cor laranja a cor preferida do Rê, assim como a da prima AA, como ele diz.

Os lombos de salmão, frescos ou congelados, são uma boa ideia para uma refeição rápida mas muito saborosa e gourmet. Um must have a ter sempre no congelador, já cortado em lombinhos com 2 dedos de espessura.
Salmão combina muito bem com sumo de limão e ervas frescas, sobretudo com a rama ramificada e delicada do funcho. Nesta sugestão usei alecrim fresco e não deixou ficar nada mal.

O salmão é marinado com algum tempo de antecedência. Este tempo é relativo, pode ser de 1 dia para o outro (ficando no frigorífico tapado com película aderente) ou algumas horas, ou mesmo alguns minutos antes, como foi o caso. Tudo depende da programação e do tempo disponível.


Acompanhei o salmão com puré de batata, rodelas de tomate sem tempero (usa-se depois o molho do salmão) e fatias de bacon crocante cozinhado no microondas.

Fiz assim...

INGREDIENTES
lombo de salmão fatiado em lobinhos de 2 dedos de espessura
sumo de 1 limão grande
3 dentes de alho
1 pequeno ramo de alecrim
sal q.b.
pimenta moída q.b.
1 toco de manteiga
1 fio pequeno de azeite
fatias finas de bacon (toucinho fumado)

PREPARAÇÃO
Numa tigela colocar o salmão (descongelado) e temperar com o sumo de limão, sal, pimenta, os dentes de alho esborrachados com a lâmina da faca, e o alecrim. Reservar o tempo necessário.
Numa frigideira anti-aderente colocar a manteiga e o azeite (pouco, apenas para não deixar queimar a manteiga). Levar ao lume e quando derretida a manteiga colocar os lombinhos de salmão escorridos. Reservar a marinada.
Dourar o salmão dos dois lados.
Depois, adicionar a marinada e tapar a frigideira. Deixar cozinhar uns minutos.
Entretanto colocar num prato as fatias de bacon, sem sobreposição. Levar ao microondas, tapado com a tampa própria, na potência máxima, 2-3min..
Servir o salmão, sobre o bacon, acompanhado com puré de batata e rodelas de tomate, regando tudo com o molho "alimonado" do salmão.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Se o bacon não estiver ainda crocante aumentar um pouco o tempo, abrindo o microondas para verificar o ponto. O tempo depende da potência do microondas e da humidade do bacon. Usar sempre a tampa no microondas, para evitar salpicos indesejáveis mas inevitáveis;
- Para que o bacon fique fácil de cortar, retirar o fio coirato, com faca ou tesoura, antes de levar ao microondas. 

terça-feira, 2 de Setembro de 2008

HAMBURGUER


Um simples hamburguer e tanto sabor: Pão de hamburguer ligeiramente barrado com maionese, mostarda e ketchup, hamburguer 100% carne vaca grelhado com sal e pimenta, queijo, tomate e alface. Coca-cola ou um tango.

PÃO DE HAMBURGUER

Redondos, fofos e com sementes de sésamo (gergelim), são assim os pães de hamburguer. A diferença entre estes e os embalados é que estes sabem a pão.

Muito fáceis de fazer e ainda mais de comer, lol.

Amassei na MFP mas pode ser amassado à mão, como qualquer massa de pão. São depois tendidos e assados no forno. Pincelei com leite para ficarem com este aspecto dourado e baço (para outros acabamentos ver - Dicas 6)

Fiz assim...

PÃO DE HAMBURGUER
 


INGREDIENTES
1 chávena / 240ml de água
1,5 colher (chá) de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher de sopa de leite em pó (opção)
3 chávenas / 430g de farinha de trigo T65
2 colheres (chá) de sal fino
2 colheres (sopa) de óleo

leite (picelar)
sementes de sésamo brancas (cobertura)


PREPARAÇÃO
Colocar os ingredientes pela ordem indicada, na forma da MFP.
Seleccionar o programa "Massa" e no fim de terminar deixar levedar mais 30min..
Retirar a massa para uma superfície enfarinhada e dividir a massa em 8 bolas. Tender as bolas, deixando a superfície lisa. Deixar levedar espaçadas, sobre a superfície enfarinhada. Polvilhar com farinha e cobrir com um pano. Deixar levedar 30min..

Pré-aquecer o forno a 200ºC.
Com uma espátula larga colocam-se as bolas num tabuleiro polvilhado com farinha ou forrado com um tapete de silicone. Pincelar as bolas com leite e salpicar com as sementes de sésamo.
Levar ao forno até ficarem dourados, 15-20min..
Retirar e deixar arrefecer numa grelha.
Rende 8 pães de hamburguer.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Usando o leite em pó, os pães ficarão mais fofos, ainda, mas para mim acho desnecessário;
- A massa fica um pouco mais pegajosa, pelo que o ponto da massa não deve ser corrigido;
- As sementes de sésamo podem ser substituídas por sementes de alcaravia (caraway), que fica muito bom.

segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

BOLINHAS DE NOZ E AMÊNDOA

Para quem gosta de frutos secos, como as nozes e as amêndoas, estes são os docinhos a fazer em breve.
Fazem parte da doçaria marroquina, não levam farinha nem gorduras. O óleo que têm é dos próprios frutos secos.

As nozes e as amêndoas devem ser torradas para tornar mais crocante as bolinhas, libertar mais facilmente os óleos para poderem ser amassadas e sobretudo para avivar o seu rico aroma.

São fantásticas.

Duram semanas fechados numa caixa plástica ou lata. É aconselhável que a dita caixa não fique ao alcance de crianças, pois a minha ficou e não resistiu. O Rê comeu sorrateiramente cada uma destas bolinhas, até ser apanhado...

Com o passar dos dias pode o açúcar em pó ficar ligeiramente húmido, mas antes de os servir novamente, polvilham-se com o mesmo açúcar.

A receita eu vi no blog Le Palais des Delice e tinha sido tirada do livro La pâtisserie marocaine de Nadia Jouhri.

Fiz assim...

BOLINHAS DE NOZ E AMÊNDOA



INGREDIENTES
250g de miolo de noz torrada
250g de miolo de amêndoa com pele torrada
250g de açúcar granulado
15g / 1 saqueta / 2 colheres (café) de fermento em pó
2 ovos
açúcar em pó para envolver


PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Moer as nozes e a amêndoas torradas.
Numa tigela colocar os frutos moídos e acrescentar o fermento e os ovos. Amassar bem.
Fazer pequenas bolas do tamanho de uma azeitona grande e rolá-las no açúcar em pó.
Colocar cada uma delas numa forminha de papel.
Levar ao forno até que fiquem douradas e com uma crosta estaladiça.

Retirar do forno, deixar arrefecer numa grelha.

Guardar depois de frios.
Rende mais de 60 bolinhas.

NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para torrar as amêndoas e as nozes basta colocar num tabuleiro e levar ao forno até ficarem secas e torradas, sem sequer queimar;
- As bolinhas crescem um pouco no forno, por isso as forminhas não devem ser muito pequenas, ou então moldar as bolinhas um pouco mais pequeno; As bolinhas da foto ficaram um pouco grandes para as formas, ou estas pequenas para as bolinhas;
- No forno é preciso ter cuidado para que as bolinhas não queimem por baixo. Para ver se estão prontas, retirar um bolinho e averiguar a base.